Eleitores de Trump temem ‘guerra revolucionária’ se Hillary vencer eleições

Eleitores de Trump temem ‘guerra revolucionária’ se Hillary vencer eleições

Eleitorado republicano acredita que país terá um conflito violento se democrata for a mais votada; entrevistados dizem que nação está muito dividida e que pode haver uma revolução

Redação Internacional

27 Outubro 2016 | 11h23

COLORADO SPRINGS, EUA – Quando o candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, chega a alguma cidade para fazer campanha, grandes multidões o aguardam com ansiedade e longas filas se formam para participar de seus comícios. Mas apesar da euforia nos eventos do magnata, seus apoiadores estão preocupados com a possibilidade cada vez maior, segundo as pesquisas, da democrata Hillary Clinton vencer as eleições.

Enquanto alguns acreditam que serão esquecidos e deixados de lado com suas preocupações e frustrações, outros creem que o país terá um conflito violento.

Candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump (Foto: REUTERS/Jonathan Ernst)

Candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump (Foto: REUTERS/Jonathan Ernst)

Jared Halbrook, de 25 anos, disse que se Trump perder – o que considera muito possível já que, para ele, as eleições estão sendo fraudadas – levará os EUA a “outra Guerra Revolucionária”. “As pessoas marcharão nas capitais”, afirmou Halbrook, que trabalha em um call center. “Elas farão tudo o que for preciso para tirar Hillary do poder, porque ela não pertence a esse lugar.”

Entrevistas com mais de 50 apoiadores de Trump durante eventos de campanha em seis Estados nas últimas semanas revelaram uma mudança clara no clima visto no começo da campanha eleitoral, quando o magnata surgiu como um candidato republicano não convencional. Se antes os eleitores estavam duvidosos com relação ao bilionário, hoje os americanos republicanos acreditam que ele pode ser a grande salvação do país.

Alguns partidários visualizam um futuro apocalíptico do que os EUA serão sob o comando da ex-secretária de Estado. “Tenho medo que o país se encaminhe para um motim”, disse Roger Pillath, de 75 anos, um professor aposentado. “Nunca vi uma nação tão dividida, apenas brancos e negros, e não há compromissos. A campanha de Hillary diz que juntos somos mais fortes, mas não há união. O país nunca esteve tão dividido. Estou vendo uma revolução agora.”

A eleitora Julie Olson, de 69 anos, afirmou que ela e o marido passaram por dificuldades econômicas nos últimos anos e que a derrota de Trump apenas pioraria a situação. “Eu provavelmente entraria em depressão porque a vida já está dura o bastante para nós agora”, indica ela. “Se Hillary vencer, será muito pior.”

A maioria dos apoiadores de Trump nos comícios acredita na mensagem do republicano de que as pesquisas não refletem a “maioria silenciosa” que eles afirmam que aparecerá no dia 8 de novembro. “Você vai a qualquer vizinhança e vê quantos cartazes existem de Trump e quantos de Hillary. Garanto que isso nem chega perto”, destaca Bill Stelling, de 44 anos.

Conforme Hillary segue avançando nas pesquisas, eleitores de Trump acham difícil até mesmo pensar em como ficariam com a democrata ocupando a presidência. “Eu iria para casa e choraria por quatro anos”, disse Ken Herrmann, de 69 anos. A cabeleireira Kathy Maney, de 61 anos, contou que ficará decepcionada. “Não sentiria ódio ou raiva, mas meu coração ficaria quebrado.” / NYT