Eleitores dos EUA podem legalizar maconha para um quarto da população

Eleitores dos EUA podem legalizar maconha para um quarto da população

Só a aprovação da Califórnia, Estado mais populoso dos EUA graças a seus 39 milhões de habitantes, colocaria quase um quinto dos americanos vivendo em Estados onde a maconha recreativa é legal

Redação Internacional

08 de novembro de 2016 | 19h14

SACRAMENTO, EUA – Quase um quarto dos americanos irá morar em áreas onde o uso recreativo da maconha é legal se os eleitores aprovarem iniciativas que permitirão a prática na Califórnia, em Massachusetts e em três outros Estados na eleição desta terça-feira, 8.

Como a erva já foi legalizada para adultos em quatro Estados e no Distrito de Columbia, uma vitória da causa em solo californiano bastará para tornar toda a Costa Oeste dos EUA uma zona livre para a maconha, completando uma marcha geográfica que começou nos Estados de Washington e Oregon.

An electronic billboard displays a marijuana hashtag at Times Square in New York, U.S., November 7, 2016. REUTERS/Shannon Stapleton

Foto: Shannon Stapleton/Reuters

Decisões no mesmo sentido em Arizona, Nevada, Massachusetts e Maine preencheriam a maior parte do restante do oeste e ampliariam o uso recreativo para o nordeste. Pesquisas de opinião mostram os eleitores favoráveis à proposta em todas as cinco unidades federativas.

Além disso, medidas para legalizar a maconha medicinal ou expandir seu uso estão nas urnas em Dakota do Norte, Montana, Arkansas e Flórida.

Vinte e cinco Estados já legalizaram a maconha em alguma forma, seja medicinal, recreativa ou ambas.

Na Califórnia, onde a maconha medicinal é legal desde 1996, uma pesquisa de opinião recente do Instituto de Políticas Públicas revelou que 55% dos eleitores prováveis – o voto é facultativo nos EUA – apoiam uma votação que autorizaria ao Estado taxar e regulamentar as vendas de maconha no varejo, mais ou menos como acontece com bebidas alcoólicas.

Essa cifra é semelhante àquela de sondagens de Massachusetts e Maine que mostram simpatia pela legalização. Maiorias menos expressivas ou pluralidades também apontam para uma legalização no Arizona e em Nevada.

Só a aprovação da Califórnia, Estado mais populoso dos EUA graças a seus 39 milhões de habitantes, colocaria quase um quinto dos americanos vivendo em Estados onde a maconha recreativa é legal, de acordo com cifras do Censo dos EUA. Esse número sobe para mais de 23% se os cinco Estados aprovarem a medida.

Os defensores da maconha legalizada vêm tentando conquistar apoio nas urnas há décadas, sem muito sucesso, até anos mais recentes, começando com vitórias no Colorado e no Estado de Washington em 2012.

A legalização, ainda que só em alguns dos Estados onde as medidas estão em votação, pode incitar o governo federal, que ainda classifica a maconha na mesma categoria da heroína, a começar a repensar suas leis e políticas, disse John Matsusaka, cientista político da Universidade do Sul da Califórnia. / REUTERS

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: