Em cartas a sucessores, Clinton e Bush destacaram ‘honra’ de presidir os EUA

Em cartas a sucessores, Clinton e Bush destacaram ‘honra’ de presidir os EUA

Redação Internacional

20 Janeiro 2017 | 13h01

WASHINGTON – Os ex-presidentes dos Estados Unidos Bill Clinton e George W. Bush ressaltaram a “honra” de presidir o país a seus sucessores no cargo por meio de cartas manuscritas que foram divulgadas nesta quinta-feira pela emissora ABC News.

Estas cartas, que procedem da Administração Nacional de Arquivos e Registros (NARA), são reveladas um dia antes que o presidente em fim de mandato, Barack Obama, ceda o comando ao republicano Donald Trump.

FILE -- President Bush with President-elect Barack Obama and three former presidents in the Oval office of the White House where they met for lunch, Wednesday, Jan. 7, 2008. As he transformed the country during his two terms in office, Obama learned the limits of what is possible. From left: former President George H.W. Bush, Obama, George W. Bush, Bill Clinton and Jimmy Carter. (Doug Mills/The New York Times)

O ex-presidente dos EUA George H.W. Bush (E), Obama, George W. Bush, Bill Clinton and Jimmy Carter no Salão Oval. (Doug Mills/The New York Times)

A carta emitida pelo presidente em fim de mandato e dirigida a seu sucessor, escrita à mão e datada no dia da posse, em 20 de janeiro, se transformou em uma tradição.

Tanto Clinton como Bush destacaram a “honra” de presidir o país, felicitaram seu sucessor por alcançar o comando do país e lhes desejaram boa sorte.

Em um tom amigável e relaxado, os dois ex-presidentes começaram suas cartas com o adjetivo “estimado” seguido do nome de batismo de seus sucessores.

“Haverá momentos difíceis. Os críticos se enfurecerão. Seus ‘amigos’ te decepcionarão. Mas você terá um Deus todo poderoso para consolar-te, uma família que te ama, e um país que estará apostando em você, inclusive eu. Não importa o que venha, você se inspirará pelo caráter e a compaixão da gente que agora lidera”, disse Bush a Obama em 2009.

Na carta, Bush se despediu com um “Deus te abençoe” e assinou com as iniciais “GW”.

Por sua parte, em 2001, Clinton declarou a Bush que este embarcaria em “sua maior aventura”, além de salientar quão “afortunado” seria por dirigir o país em um “momento de mudanças profundas e, em grande medida, positivas”.

“As cargas que agora levarás sobre seus ombros são grandes, mas frequentemente exageradas. A alegria de fazer o que acha correto não pode ser expressada”, considerou o democrata.

Clinton também frisou que Bush se transformaria no presidente de “gente orgulhosa, decente e boa”, na qual se incluiu, e assinou com seu nome de batismo, Bill. / EFE