Escolhido por Trump como secretário de Estado dos EUA romperá vínculos com Exxon Mobil

Escolhido por Trump como secretário de Estado dos EUA romperá vínculos com Exxon Mobil

Em comunicado, empresa informou que os cerca de US$ 180 milhões que seu ex-chefe executivo e ex-presidente do Conselho de Administração receberia ao longo de 10 anos serão transferidos para um fundo de administração independente

Redação Internacional

04 Janeiro 2017 | 09h45

WASHINGTON – A petroleira Exxon Mobil e Rex Tillerson concordaram em encerrar todos os laços para cumprir as exigências sobre conflito de interesses, uma vez que o ex-chefe executivo e presidente do Conselho de Administração da empresa espera ser confirmado como próximo secretário de Estado dos Estados Unidos.

Caso a nomeação seja confirmada, o valor das mais de 2 milhões de ações da Exxon Mobil (em torno de US$ 180 milhões, segundo preço de fechamento da terça-feira, 3), que Tillerson receberia nos próximos 10 anos serão transferidos para um fundo de administração independente, informou a companhia em comunicado.

Rex Tillerson, novo secretário de Estado dos EUA (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

Rex Tillerson, novo secretário de Estado dos EUA (Foto: EUTERS/Kevin Lamarque)

Prêmios em ações serão cancelados e Tillerson terá que abrir mão de mais de US$ 4,1 milhões em bônus em dinheiro que seriam pagos nos próximos três anos, além de outros benefícios, disse a Exxon Mobil.

Separadamente, Tillerson também se comprometeu com o Departamento de Estado que, caso seja confirmado, venderia mais de 600 mil ações da Exxon que atualmente possui, segundo a empresa.

A Exxon disse no mês passado que seu presidente, Darren Woods, vai se tornar o chefe-executivo e o presidente do Conselho em janeiro, após a aposentadoria de Tillerson da empresa.  Tillerson pode enfrentar, no entanto, um turbulento processo de confirmação, dadas preocupações tanto entre democratas quanto republicanos sobre seus laços com a Rússia. / REUTERS