EUA reforçam segurança para posse de Trump

EUA reforçam segurança para posse de Trump

Risco de ataques com caminhões é uma das preocupações

Redação Internacional

19 Janeiro 2017 | 18h36

WASHINGTON – A cerimônia de posse do republicano Donald Trump nos Estados Unidos contará com um forte esquema de segurança para evitar ataques dos chamados “lobos solitários”, terroristas que agem sozinhos e, comumente, são nascidos no mesmo país de seus alvos. Para evitar que possíveis atentados ocorram, 50 agências de segurança coordenarão 28 mil funcionários, incluindo membros do Serviço Secreto, da Guarda Nacional, do FBI e da polícia regional. Em alguns eventos da cerimônia de posse do novo presidente, que ocorrerão em áreas abertas, serão instalados vidros a prova de balas para proteger Trump, oficiais e membros do governo presentes.

Equipes preparam esquemas de segurança - Foto: SHAWN THEW/Efe

Equipes preparam esquemas de segurança – Foto: SHAWN THEW/Efe

Franco-atiradores estarão nos prédios próximos e detectores de substâncias químicas, biológicas e de radiação foram instalados pelo FBI; policiais a paisana completam o esquema de segurança. O secretário de segurança interna, Jeh Johnson, afirmou, em entrevista a jornalistas, que o evento deve transcorrer sem problemas. “Não sabemos de nenhuma ameaça específica provável”.

Johnson também ressaltou a diferença de clima entre a segunda posse de Obama, em 2013, e a cerimônia deste ano. “Temos de nos preocupar com o extremismo violento interno, o extremismo violento nascido em casa, os atos de auto-radicalização”, disse.

Acesso do público. O outro papel das equipes que atuarem no evento será garantir a segurança das mais de 700 mil pessoas presentes na cerimônia de posse. O público só poderá entrar no perímetro de sete quilômetros quadrados no centro de Washington após passar por revistas. Os únicos pertences permitidos serão telefones celulares, câmeras, carteiras e pequenas bolsas. Os membros dos 99 grupos de protesto que estarão presentes no evento poderão levar cartazes pequenos, mas sem bastões. Segundo as autoridades, manifestantes rivais ficarão em áreas separadas.

Ataques de caminhões e drones. Para evitar atentados que usem caminhões e drones, as agências de segurança posicionarão caminhões carregados de cimento, caminhões basculantes, ônibus e outros veículos pesados em pontos estratégicos. O voo de drones estará proibido no espaço aéreo de Washington durante todo o evento. /AFP

Mais conteúdo sobre:

EUADonald Trumpposse