Ex-secretário de Interior liderará transição se Hillary vencer eleições

Ex-secretário de Interior liderará transição se Hillary vencer eleições

Salazar, de origem hispânica, foi secretário de Interior do presidente Barack Obama entre 2009 e 2013, após ter servido como senador pelo Colorado

Redação Internacional

16 Agosto 2016 | 20h55

WASHINGTON – O ex-secretário de Interior dos EUA Ken Salazar liderará a equipe que coordenará a transição à Casa Branca e a transferência de poder se a candidata presidencial democrata, Hillary Clinton, vencer as eleições de novembro, segundo anunciou nesta terça-feira, 16, sua campanha.

Salazar, de origem hispânica, foi secretário de Interior do presidente Barack Obama entre 2009 e 2013, após ter servido como senador pelo Colorado.

FILE - This April 5, 2013 file photo shows former Interior Secretary Ken Salazar during an interview with The Associated Press in his office at the Interior Department in Washington. The Hillary Clinton presidential campaign announced Tuesday, Aug. 16, 2016, that Salazar, a former Colorado senator, would chair her White House transition team. (AP Photo/Charles Dharapak, file)

Em imagem de 2013, o ex-secretário de Interior Ken Salazar. Foto: Charles Dharapak/AP

Em comunicado, a campanha de Hillary detalhou que Salazar dirigirá uma equipe instalada em Washington e encarregada da “preparação de uma potencial administração” liderada pela ex-secretária de Estado e seu “número dois”, o senador Tim Kaine.

O centro de operações da campanha eleitoral continuará no Brooklyn (Nova York).

Da equipe liderada por Salazar também farão parte Tom Donilon, ex-assessor de segurança nacional de Obama; a ex-governadora de Michigan Jennifer Granholm; a presidente do think tank Center for American Progress, Neera Tanden, e a diretora do Instituto de Políticas da Universidade de Harvard, Maggie Williams.

Além disso, dois altos assessores políticos da campanha de Hillary, Ed Meier e Ann O’Leary, também irão a Washington para tramitar as “operações do dia a dia” e Heather Boushey, atual diretora-executiva do Washington Center for Equitable Growth, será a economista-chefe da transição.

“Enquanto nossa campanha continua centrada na tarefa de ganhar em novembro, Hillary Clinton quer ser capaz de trabalhar imediatamente como presidente eleita na construção de uma economia que funcione para todos”, sustentou no comunicado o chefe de campanha da ex-primeira-dama, John Podesta.

O chefe de gabinete de Obama, Denis McDonough, entrou em contato no fim de julho com pessoal da campanha de Hillary e da de seu rival republicano, Donald Trump, para informar sobre “a variedade de recursos que podem utilizar em benefício de suas atividades de planejamento da transição”.

Desde o começo de agosto, ambas campanhas têm acesso a espaço em escritórios da Administração de Serviços Gerais (GSA) em Washington.

Além disso, Hillary e Trump já podem ter acesso a relatórios de inteligência no marco da transição política em janeiro, quando assumirá o substituto de Obama. / EFE