FBI será investigado por ação em caso de e-mails de Hillary

Para democratas, a forma como Comey conduziu o caso dos e-mails da democrata Hillary Clinton e a divulgação, no fim de outubro, de uma carta sobre o caso contribuíram para a derrota da ex-secretária de Estado

Redação Internacional

12 Janeiro 2017 | 18h24

O inspetor-geral do Departamento de Justiça americana, Michael Horowitz, anunciou nesta quinta-feira, 12, que investigará as ações do departamento e do FBI nos meses anteriores às eleições de 2016. O objetivo, segundo ele, é determinar, entre outros pontos, se o diretor do FBI, James Comey, seguiu as diretivas vigentes.

FILE - In this July 7, 2016 file photo, FBI Director James Comey testifies on Capitol Hill in Washington before the House Oversight Committee to explain his agency's recommendation to not prosecute Hillary Clinton. Comey, who prides himself on moral rectitude and a squeaky-clean reputation is being criticized from all sides for lobbing a stink bomb into the center of the presidential race. Former Justice Department officials and former prosecutors from both parties have called the revelation an improper, astonishing and perplexing intrusion into politics in the critical endgame of the 2016 campaign. (AP Photo/J. Scott Applewhite, File)

O diretor do FBI, James Comey. Foto: J. Scott Applewhite/AP

Os democratas afirmam que a forma como Comey conduziu o caso dos e-mails da democrata Hillary Clinton e a divulgação, no fim de outubro, de uma carta sobre o caso contribuíram para a derrota da ex-secretária de Estado frente ao republicano Donald Trump. Hillary foi criticada por ter utilizado um provedor privado de e-mails quando era secretária de Estado.

O inspetor-geral disse que investigará se Comey seguiu as diretivas vigentes, se o subdiretor poderia ter recusado a investigação e as denúncias de que o departamento revelou informação que não era pública para a campanha de Hillary. / AP

Mais conteúdo sobre:

FBIJames Comey