Ford cancela fábrica no México e cita Trump como um dos motivos

Ford cancela fábrica no México e cita Trump como um dos motivos

Empresa investirá para criar 700 vagas em Michigan por acreditar no ‘ambiente de negócios’ criado por Trump; diretor-executivo diz que não houve acordo com presidente eleito

Redação Internacional

03 Janeiro 2017 | 19h20

A montadora americana Ford anunciou nesta terça-feira, 3, que cancelará um investimento de US$ 1,6 bilhão para construir uma fábrica no México e decidiu investir na produção de carros elétricos nos Estados Unidos. A empresa citou como um dos motivos da mudança a eleição de Donald Trump. O governo do México lamentou a decisão.

Como parte do novo plano de investimento em solo americano, a empresa pretende abrir 700 postos de trabalho em sua fábrica em Michigan. A Ford quer ampliar a produção de carros automáticos e sem motorista. O diretor-executivo da Ford, Mark Fields, disse que não houve acordo com o presidente eleito para abandonar o investimento no México. “Fizemos como estratégia de negócio, mas o ambiente para investir com a eleição dele está mais favorável”, afirmou à CNN.

MEX0. CUAUTITLÁN (MÉXICO), 03/01/2017.- Vista general de la planta de Ford hoy, martes 3 de enero de 2016, en la ciudad de Cuautitlan (México). Ford canceló hoy la inversión de 1.600 millones de dólares en la localidad mexicana de San Luis de Potosí, donde tenía previsto construir una nueva planta de montaje de vehículos. En un comunicado, Ford también dijo que producirá la nueva generación del modelo Focus en la planta de montaje de la ciudad mexicana de Hermosillo

Fábrica da Ford no México. Foto: Mario Guzmán/EFE

O investimento inicial da Ford nos Estados Unidos será de US$ 700 milhões em um prazo de quatro anos.  Fields ressaltou que o CEO da empresa, Bill Ford, conversou com Trump na manhã de hoje para comunicar a decisão. “É literalmente um voto de confiança em algumas das políticas que estão sendo desenhadas. Por isso nossa decisão de investir na nossa fábrica em Michigan”, acrescentou Fields. O representante da empresa declarou que o foco em automóveis elétricos faz parte do compromisso da empresa de investir US$ 4,5 bilhões nesse tipo de veículo.

O governo mexicano criticou a decisão da Ford e prometeu buscar uma compensação financeira contra a decisão da companhia. “O governo do México lamenta a decisão da Ford. A empresa deverá compensar qualquer investimento que o nosso governo já tenha colocado em prática para a construção da fábrica”, disse o Ministério da Economia mexicano em nota.

Desde a campanha eleitoral, Trump concentra suas promessas em retomar o investimento de empresas americanas no país, que tem regredido desde a desindustrialização acentuada a partir dos anos 90. O presidente eleito também criticou acordos de livre comércio como o Nafta, que facilitam o investimento em indústrias no México.

Desde sua eleição, o magnata republicano criticou a Ford e sua principal concorrente, a General Motors, por investirem na produção de automóveis no México, onde os salários são mais baixos e a regulamentação é menos restritiva.

Hoje, Trump ameaçou a GM com a imposição de tarifas mais altas aos veículos que importe do México se continuar levando a produção para lá. “Ou os faz nos EUA ou paga uma tarifa mais alta na fronteira”, tuitou.

Como candidato, ele falou em aplicar uma tarifa de 35% a veículos produzidos no México. A GM respondeu que as 190 mil unidades do modelo Cruze vendidas no ano passado foram montadas nos EUA e só uma pequena parcela, de 4,5 mil unidades, vem do México. / AFP

Mais conteúdo sobre:

FordDonald Trump