Hillary acusa Rússia de hackear e-mails de Comitê Democrata

Redação Internacional

31 Julho 2016 | 21h37

WASHINGTON -A candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, afirmou ontem que serviços de inteligência russos hackearam computadores do Comitê Democrata Nacional (DNC, na sigla em inglês) e acusou seu concorrente, o republicano Donald Trump, de demonstrar apoio ao presidente russo Vladimir Putin.

“Sabemos que os serviços de inteligência hackearam o DNC e sabemos que eles organizaram muitos daqueles e-mails para serem publicados e sabemos que Donald Trump tem mostrado uma perturbadora vontade de apoiar Putin, de dar apoio à Putin”, disse Clinton em entrevista ao Fox News Sunday.

A candidata também acusou Trump de ter uma lealdade absoluta aos objetivos políticos da Rússia e a Putin. Ela ainda criticou o estímulo dado pelo rival republicano para que os russos invadissem os e-mails. “Isso desperta questionamentos sobre a influência russa em nossas eleições e em assuntos de segurança nacional”, afirmou. “Não toleraríamos isso de nenhum outro país.”

A candidata democrata afirmou também que seu rival nas eleições de novembro não tem um temperamento apto para ser presidente e comandar o país.

Em sua defesa, Trump disse que não tem um relacionamento com o presidente russo, Vladimir Putin, e nunca falou com ele por telefone, mas considerou que “seria uma grande coisa se nosso país pudesse se dar bem com a Rússia”.

Os Estados Unidos não acusaram publicamente a Rússia de estar por trás da invasão aos computadores do Partido Democrata. Especialistas em cibersegurança, no entanto, disseram acreditar que a Rússia tenha projetado a divulgação dos e-mails para influenciar as eleições presidenciais. /AFP