Hillary Clinton recusa convite de Peña Nieto para visitar o México

Hillary Clinton recusa convite de Peña Nieto para visitar o México

Em entrevista à emissora 'ABC', candidata democrata afirmou que na reta final da campanha deve concentrar-se nas políticas para criar emprego nos EUA; governo mexicano disse que 'entende e respeita' decisão

Redação Internacional

06 de setembro de 2016 | 09h23

WASHINGTON – A candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, recusou na noite de segunda-feira, 5, o convite feito pelo presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, para conversar no México sobre a relação bilateral, que já havia sido aceito pelo republicano Donald Trump.

Em entrevista à emissora “ABC”, o jornalista David Muir perguntou à ex-secretária de Estado se ela pretendia aceitar o convite da presidência do México e viajar ao país latino-americano antes das eleições presidenciais, em 8 de novembro.

Hillary faz campanha em Hampton, Illinois; democrata descatou viajar agora para o México para encontro com presidente Enrique Peña Nieto (FOTO: Justin Sullivan/Getty Images/AFP)

Hillary faz campanha em Hampton, Illinois; democrata descatou viajar agora para o México para encontro com presidente Enrique Peña Nieto (FOTO: Justin Sullivan/Getty Images/AFP)

“Não”, respondeu Hillary, que afirmou que deve concentrar-se nas políticas para criar emprego nos EUA e no que deve ser feito “para garantir que os americanos tenham as melhores oportunidades possíveis no futuro”.

O governo do México afirmou depois da declaração de Hillary que “entende e respeita” a decisão da democrata de não aceitar o convite de Peña Nieto, afirmou a chanceler Claudia Ruiz Massieu.

Em uma série de mensagens via Twitter, Claudia disse que o governo mexicano mantém “uma comunicação permanente e produtiva com a campanha” da candidata.

“Entendemos e respeitamos sua decisão de propor o momento de manter um encontro”, declarou a secretária de Relações Exteriores, acrescentando que “os governos de México e Estados Unidos têm uma relação multidimensional, madura e sólida”.

Polêmica. Trump, por outro lado, se reuniu na quarta-feira passada no México com Peña Nieto e horas depois fez um discurso no Arizona no qual retomou a linha dura contra a imigração e insistiu que erguerá um muro pago pelo governo mexicano e deportará os imigrantes ilegais.

Na Cidade do México, em entrevista coletiva conjunta, Trump disse ter “um grande respeito” pelos “mexicanos-americanos”, enquanto Peña Nieto declarou ao republicano que houve “interpretações equivocadas ou afirmações que infelizmente tinham lastimado e afetado os mexicanos”.

Em sua resposta mais dura até agora, Hillary Clinton considerou “infeliz” a viagem de Trump ao México e acusou seu rival de ter criado um “incidente diplomático”. “Não soube comunicar-se de maneira efetiva com um chefe de Estado. E acredito que está muito claro o resultado dessa viagem”, acrescentou Hillary, que fez referência às diferenças entre o presidente mexicano e Trump sobre a proposta do magnata para que o governo do México pague pelo muro fronteiriço.

Enquanto Trump assegurou que na reunião não discutiram quem pagaria a barreira fronteiriça, Peña Nieto afirmou em várias ocasiões que durante seu encontro privado com o republicano foi “enfático em assinalar que o México de nenhuma maneira pagaria o muro”, como disse em entrevista na emissora “Televisa”.

“Ele saiu dizendo uma coisa e o presidente mexicano o contradisse quase imediatamente”, ressaltou Hillary que, como secretária de Estado, se reuniu pela última vez com Peña Nieto no México em 2014. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:

Hillary ClintonMéxicoEnrique Peña Nieto

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.