Hillary e Kaine fazem primeiro ato eleitoral após aceitarem a indicação

Hillary e Kaine fazem primeiro ato eleitoral após aceitarem a indicação

Depois do ato desta sexta-feira, Hillary e Kaine começarão uma pequena viagem de ônibus pela Pensilvânia e Ohio, na qual estarão acompanhados pelo ex-presidente Bill Clinton, marido da candidata

Redação Internacional

29 de julho de 2016 | 16h09

FILADÉLFIA – A candidata presidencial Hillary Clinton e seu companheiro de chapa, Tim Kaine, apareceram juntos na Filadélfia nesta sexta-feira, 29, em seu primeiro ato de campanha após aceitar a indicação na Convenção Nacional Democrata, que terminou ontem à noite e deu início à campanha para as eleições de novembro nos Estados Unidos.

Os democratas realizaram sua convenção na Filadélfia e, aproveitando sua presença, Hillary e Kaine não quiseram perder hoje a oportunidade de fazer campanha na Pensilvânia, um dos ‘swing states’ (estados indecisos onde nenhum dos dois grandes partidos tem maioria absoluta) que pode decidir as eleições de 8 de novembro, para as quais faltam exatamente 101 dias.

Democratic presidential candidate Hillary Clinton and her running mate, Democratic vice presidential candidate, Sen. Tim Kaine, D-Va., react after a campaign rally at Temple University, Friday, July 29, 2016, in Philadelphia. (AP Photo/Matt Slocum)

Tim Kaine e Hillary Clinton saem em campanha. Foto: Matt Slocum/AP

Depois do ato desta sexta-feira, Hillary e Kaine começarão uma pequena viagem de ônibus pela Pensilvânia e Ohio, na qual estarão acompanhados pelo ex-presidente Bill Clinton, marido da candidata.

Os dois políticos chegaram à Universidade de Temple da Filadélfia, um câmpus com 38 mil alunos, acompanhados por surpresa de seus cônjuges – Kaine é casado Anne Holton, ex-secretária de Educação da Virgínia.

O público rompeu em aplausos e agitou milhares de pequenas bandeiras americanas, enquanto Kaine dizia: “Eu estava cansado, mas claro agora estou acordado”, em alusão à calorosa recepção dos presentes.

Hillary aceitou ontem à noite ser a próxima candidata de seu partido à presidência dos EUA com um apelo à esperança contra o medo, e levantando como bandeira a força de um país unido e inclusivo frente aos esforços “divisórios” de seu rival, o republicano Donald Trump.

O lugar escolhido para os democratas para seu primeiro comício é simbólico porque a Pensilvânia esteve dominada pelo poder democrata desde 1992, mas agora poderia estar em risco pela mensagem de Donald Trump, que apela ao eleitor branco e trabalhador do cinturão industrial dos EUA, do qual fazem parte Pensilvânia, Ohio e Michigan, entre outros Estados. / EFE

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.