Hillary e Trump disputam votos em Estados-chave

Hillary e Trump disputam votos em Estados-chave

Candidatos começaram o dia em campanha na Flórida; pesquisas indicam leve vantagem para a democrata a quatro dias das eleições à Casa Branca

Redação Internacional

05 de novembro de 2016 | 19h08

WASHINGTON- Hillary Clinton e Donald Trump voltaram neste sábado, 5, a fazer campanha na Flórida, um Estado fundamental para suas aspirações de chegar à Casa Branca, já na contagem regressiva para as eleições presidenciais de terça-feira.

Depois de mais de um ano de discursos, escândalos, avanços e recuos, a etapa final chega com Hillary com uma leve vantagem e Trump empenhado em manter a tendência de reduzir esta diferença.

Candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton faz campanha na Filadélfia (Foto: AFP PHOTO / Brendan Smialowski)

Candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton faz campanha na Flórida (Foto: AFP PHOTO / Brendan Smialowski)

Muitas das últimas pesquisas atribuem à candidata democrata uma pequena vantagem – entre 2 e 5 pontos – sobre o adversário, apesar de a disputa continuar sem um claro favorito em Estados considerados fundamentais para definir quem assumirá a Casa Branca.

Nova pesquisa da Fox News mostrou neste sábado Hillary 2 pontos porcentuais à frente de Trump. A ex-secretária de Estado aparece com 45% das intenções de voto e Trump com 43%. Segundo a rede de TV, 66% dos entrevistados, mesmo alguns que se declararam possíveis eleitores de Hillary, pensam que a candidata democrata não é honesta nem confiável. O número aumentou após nova investigação do FBI sobre os e-mails da democrata quando era secretária de Estado. Trump tem definido Hillary como um produto do corrupto e incompetente establishment da política americana.

Para Hillary e Trump este último fim de semana de campanha é crucial para definir as tendências nos Estados considerados fundamentais, especialmente a Flórida, onde os dois fizeram muitos atos políticos. Com 29 delegados no Colégio Eleitoral, a Flórida é uma fatia importante do bolo político, embora a necessidade de vencer ali seja maior para Trump.

O milionário aparentemente tem garantida a vitória nos Estados tradicionalmente republicanos, mas para manter viva essa esperança precisa vencer também em regiões onde os democratas são fortes ou onde a disputa é muito apertada.

Trump apareceu pela manhã na cidade de Tampa, onde criticou Hillary por apoiar o plano de saúde conhecido como Obamacare. Ele também iria ainda neste sábado a Carolina do Norte, Nevada e Colorado, além de um evento em Minnesota, Estado que não vota em favor de um republicano desde 1984.

Hillary fez um rali no sul da Flórida, em seguida, rumou para a Filadélfia, onde apareceria ao lado da cantora pop Katy Perry. A democrata busca apoio de celebridades para atrair grandes multidões na reta final da campanha. Na sexta-feira à noite, ela apareceu com o rapper Jay-Z e a cantora Beyoncé. No palco do Wolstein Center de Cleveland, Hillary elogiou o casal e pediu o voto de seus milhares de fãs.

O fortalecimento tardio de Trump na campanha se tornou evidente ao ser escolhido como tema da mensagem semanal de rádio reservada ao Partido Republicano. Durante a campanha, Trump manteve relação problemática com os líderes republicanos, ao ponto de vários declararem que não podiam votar no bilionário. Por isso, o fato de que tenha sido escolhido como tema mostra um alinhamento do partido em torno de sua candidatura. / AFP, REUTERS e EFE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: