Hillary recebeu perguntas de debate antecipadamente durante primárias, diz WikiLeaks

Hillary recebeu perguntas de debate antecipadamente durante primárias, diz WikiLeaks

Site divulgou e-mail em que Donna Brazile, quando ainda era comentarista da CNN, enviou uma mensagem ao coordenador de campanha da democrata detalhando uma das perguntas que seria feita no evento

Redação Internacional

01 Novembro 2016 | 08h57

WASHINGTON – A candidata democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton, recebeu antecipadamente informações sobre as perguntas que lhe seriam feitas durante um dos debates nas primárias do Partido Democrata, segundo e-mails divulgados pelo site WikiLeaks.

A revelação levou a rede CNN a anunciar, na segunda-feira, o rompimento do contrato com a comentarista Donna Brazile, que em julho deste ano assumiu interinamente a presidência do Comitê Nacional do Partido Democrata (DNC, na sigla em inglês).

Hillary usa seu celular dentro de um avião militar C-17 sobre o Mar Mediterrâneo quando era secretária de Estado, em 2011 (FOTO: AP Photo/Kevin Lamarque)

Hillary usa seu celular dentro de um avião militar C-17 sobre o Mar Mediterrâneo quando era secretária de Estado, em 2011 (FOTO: AP Photo/Kevin Lamarque)

Há vários meses o candidato republicano Donald Trump insistia que Hillary havia recebido antecipadamente as perguntas previstas para os debates durante esta campanha, mas não pode apresentar provas.

Entre os e-mails divulgados pelo WikiLeaks, no entanto, apareceu uma prova. Em uma mensagem de 5 de março – na véspera de um debate entre Hillary e o então candidato democrata Bernie Sanders -, Donna, que ainda era comentarista do CNN, enviou uma mensagem ao coordenador de campanha da ex-secretária de Estado, John Podesta.

O debate foi realizado na cidade de Flint, Michigan, cenário de uma tragédia ambiental, provocada pelo envenenamento de água potável por excesso de chumbo. “Uma das perguntas será feita a HRC (Clinton) por uma mulher que sofre de uma erupção cutânea”, antecipou Donna a Podesta. “Sua família foi envenenada com chumbo e ela perguntará a Hillary o que poderia fazer pelas pessoas de Flint caso chegasse a ser presidente”, acrescentou.

Durante o debate, uma mulher com as mesmas características descritas questionou Hillary sobre Flint, embora os termos da pergunta tenham sido sutilmente diferentes. Nas mensagens, Donna comprometeu-se com Podesta a mandar “algo suplementar”, em alusão a outras perguntas.

No Twitter, Donna se despediu da emissora de televisão. “Obrigada CNN. Foi uma honra atuar como cientista política e comentarista democrata na rede”, postou em sua conta na rede social.

Em julho, a então presidente do DNC, Debbie Wasserman Schultz, renunciou ao cargo depois que e-mails divulgados pelo WikiLeaks mostraram como ela havia usado o cargo para ajudar Hillary em detrimento de Sanders durante a campanha. No seu lugar, o partido nomeou Donna para conduzir o diretório nacional do partido interinamente.

Os e-mails divulgados pelo WikiLeaks aparentemente foram obtidos na caixa de mensagens de Podesta. Até o momento, o Partido Democrata não confirmou ou desmentiu a autenticidade das mensagens. / AFP

Mais conteúdo sobre:

Hillary ClintonDonald TrumpCNNdebate