Multidão marcha em várias cidades dos EUA contra eleição de Trump

Multidão marcha em várias cidades dos EUA contra eleição de Trump

Em Manhattan, multidão seguiu até o edifício do presidente eleito gritando palavras de ordem e carregando cartazes contra o republicano

Redação Internacional

10 de novembro de 2016 | 00h30

NOVA YORK – Portland, Boston, Seattle, Filadélfia, Detroit, Austin, Washington D.C., Oakland, Los Angeles e Nova York registraram protestos nesta quarta-feira contra o presidente eleito Donald Trump.

A maior marcha ocorreu nas ruas de Manhattan, onde cerca de 2 mil pessoas se reuniram em Union Square e seguiram em marcha até a Trump Tower, quartel-general do magnata republicano que derrotou Hillary Clinton na noite de terça-feira. O protesto interrompeu o trânsito em várias ruas da cidade.

Protesters reach Trump Tower as they march against Republican president-elect Donald Trump in the neighborhood of Manhattan in New York, U.S., November 9, 2016. REUTERS/Eduardo Munoz

Manifestantes protestam contra resultado de eleição diante da Trump Tower, em Manhattan

Pelo caminho, a multidão gritava palavras de ordem: “Trump não é meu presidente” e “Fora Donald Trump, racista, sexista e antigay”. O documentarista Michael Moore, que alertou para o risco de vitória de Trump, e a cantora Lady Gaga, que participou de um comício de Hillary Clinton na Carolina do Norte, participaram das manifestações em Nova York. Ela segurava um cartaz da campanha democrata que dizia: “O amor vencerá o ódio” (“Love trumps hate”, um trocadilho com o nome do presidente eleito).

Os protestos foram pacíficos e organizados de maneira espontânea por meio de redes sociais. Muitos manifestantes carregavam cartazes anti-Trump e bandeiras da comunidade LGBT . Em Austin, no Texas, uma rodovia foi fechada. Em Chicago, os ativistas interromperam o trânsito em uma das mais importantes avenidas da cidade.

Em Los Angeles, estudantes se concentraram diante do prédio da prefeitura durante a tarde. Cerca de 1.500 alunos da Berkeley High School abandonaram as salas de aula e se juntaram às manifestações.

Em Oakland, também na Califórnia, algumas latas de lixo foram incendiadas. Na Avenida Pensilvânia, diante da Casa Branca, na capital do país, um manifestante segurava uma bandeira americana de cabeça para baixo. / REUTERS e AP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.