Obama diz que imigrantes ‘são a personalidade dos EUA’ e destaca necessidade de lutar contra política do ódio

Obama diz que imigrantes ‘são a personalidade dos EUA’ e destaca necessidade de lutar contra política do ódio

Em evento que celebra o Mês da Herança Hispânica no país, presidente americano agradeceu aos mais de dois mil latinos pelo apoio durante seus anos no poder e repudiou discursos anti-imigrantes

Redação Internacional

16 de setembro de 2016 | 11h02

WASHINGTON – O presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou na quinta-feira que “os imigrantes não mudam a personalidade americana, os imigrantes são a personalidade dos EUA”, e enfatizou a necessidade de lutar contra a retórica e a política do ódio.

Durante seu discurso na 39ª Gala do Instituto do Caucus Hispânico do Congresso (CHCI), que celebrou o começo do Mês da Herança Hispânica no país, Obama homenageou as origens imigrantes dos EUA.

Presidente dos EUA, Barack Obama (Foto: Alex Wong/Getty Images/AFP)

Presidente dos EUA, Barack Obama (Foto: Alex Wong/Getty Images/AFP)

“Vocês vieram aqui pelas mesmas razões que todos os imigrantes: para trabalhar, para conseguir uma vida melhor. Quem vai decidir como é o verdadeiro americano? Porque, a menos que você seja um americano nato, você chegou aqui de outro lugar”, ressaltou.

O líder agradeceu aos mais de dois mil latinos presentes pelo apoio em seus anos no poder e lembrou que o discurso de quinta-feira seria o último como presidente no fórum.

“É difícil acreditar que há oito anos vim aqui como candidato e não tinha o cabelo branco (risos). Mas hoje estou aqui para agradecer pelo apoio, pela amizade, pelo incansável esforço para me ajudar a cumprir essa promessa (de fazer um país melhor)”, declarou.

Ovacionado pelo público presente, Obama relembrou as conquistas de seus oito anos à frente do governo americano, como a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, o reatamento das relações com Cuba e a recuperação da economia da difícil crise econômica de 2008.

O presidente americano lembrou que “essa recuperação tem de chegar a todos os americanos” e repudiou, embora sem dizer o nome, o discurso anti-imigrante adotado pelo candidato republicano à presidência do país, Donald Trump.

“Não podemos permitir que este tipo de política ganhe”, disse em alusão ao magnata imobiliário, rival da democrata Hillary Clinton nas eleições.

Obama confessou está “mais otimista do que nunca sobre o futuro” da nação, mas insistiu que lutar por um país melhor “requer o esforço de todos”. / EFE

Veja abaixo: Obama diz que Trump não tem condições de ser presidente

Tudo o que sabemos sobre:

Barack ObamaimigranteslatinosDonald Trump

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.