Obama passará a semana em campanha por Hillary

Presidente dos EUA viajará por diversos Estados pedindo o voto para a candidata democrata à Casa Branca

Redação Internacional

31 Outubro 2016 | 17h24

WASHINGTON – O presidente dos EUA, Barack Obama, passará quase toda a semana fazendo campanha pela candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, com viagens aos Estados de Ohio, Carolina do Norte e Flórida.

Na quarta-feira, Obama vai à Carolina do Norte e visitará a área de Raleigh.

A campanha de Hillary anunciou nesta segunda-feira, 31, que Obama estará na sexta-feira na Carolina do Norte, onde fará comícios em Fayetteville e Charlotte para encorajar os cidadãos a aproveitarem o voto antecipado, possível até 5 de novembro. A Carolina do Norte votou por Obama em 2008, mas o republicano Mitt Romney ganhou no Estado em 2012, fundamentalmente pela baixa participação eleitoral dos cidadãos negros.

Faltando oito dias para as eleições presidenciais de 8 de novembro, a vantagem de Hillary sobre seu rival republicano, Donald Trump, na Carolina do Norte é de apenas três pontos (47,1% a 44,1%), segundo pesquisa elaborada pela RealClearPolitics.

Em Ohio, Estado que Obama visitará na terça-feira 1.º de novembro para realizar um comício em Columbus, é Trump quem lidera hoje a disputa, mas com pouco mais de um ponto de vantagem sobre Hillary (45,8% a 44,5%), de acordo com a RealClearPolitics.

Também há um empate técnico entre os dois candidatos na Flórida, segundo as últimas pesquisas, e Obama voltará ao Estado na quinta-feira 3 para fazer campanha por Hillary em Miami e Jacksonville.

O vice-presidente dos EUA, Joseph Biden, viajará à Flórida um dia antes que Obama e nesta terça fará campanha a favor de Hillary na Carolina do Norte.

Digital. A rede social Snapchat afirmou que terça-feira divulgará uma entrevista realizada com Obama que ficará disponível durante 48 horas em sua plataforma Discover e na qual o presidente falará de seus planos de futuro, entre outros temas.

O Snapchat, uma rede social de vídeos e mensagens instantâneas que desaparecem após ser vistos, tem atualmente cerca de150 milhões de usuários diários ativos no mundo todo, sendo 60 milhões nos EUA. /EFE