Presidente do comitê democrata anuncia renúncia às vésperas de convenção

Presidente do comitê democrata anuncia renúncia às vésperas de convenção

Decisão foi anunciada em meio a um escândalo envolvendo o vazamento de emails que provocou turbulências nos quadros do partido

Redação Internacional

24 Julho 2016 | 19h18

FILADÉLFIA – A presidente do Comitê Nacional do Partido Democrata, Debbie Wasserman Schultz, anunciou sua renúncia neste domingo, 24, em meio a um escândalo envolvendo o vazamento de emails que provocou turbulências nos quadros do partido às vésperas da convenção que vai nomear Hillary Clinton para a corrida pela Casa Branca. Debbie deixará o cargo ao término da convenção.

Os ânimos após a esquentada primária entre Hillary e o rival Bernie Sanders se acirraram ainda mais depois que mais de 19 mil emails do Comitê Nacional Democrata foram divulgados pelo  Wikileaks. Os documentos pareceram confirmar a frequente acusação de Sanders de que o comitê sempre teve um favorito na disputa, Hillary.

Sanders havia pedido a renúncia de Debbie mais cedo neste domingo. “Planejamos uma grande e unida convenção e eu espero que a equipe do comitê, que trabalhou tanto para chegarmos a este ponto, tenha o apoio de todos os democratas para realizar a melhor convenção de todas”, disse ela, em comunicado.

O escândalo foi um duro golpe contra os democratas, que esperavam projetar estabilidade, em contraste com a volatilidade do candidato republicano nomeado na semana passada Donald Trump. As notícias também ofuscaram as preparações na Filadélfia para a coroação de Hillary como a candidata democrata que enfrentará Trump.

Após ser informada sobre a renúncia de Debbie, Hillary a agradeceu pela liderança do partido nos últimos cinco anos.
“Agradeço a Debbie por ter conseguido levar o Partida Democrata a esta histórica convenção da Filadélfia. Sei que os acontecimentos desta semana serão um sucesso graças a seu árduo trabalho e liderança. Simplesmente não há ninguém melhor para a luta contra os republicanos do que Debbie”, afirmou Hillary.

Em comunicado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, informou ter ligado para Debbie para agradecê-la pelo trabalho desempenhado à frente do partido. “Sua liderança no Partido Democrata significou que tivemos alguém que uniu os democratas não só para a minha campanha de reeleição, mas também para alcançar os objetivos compartilhados que temos para o nosso país”, ressaltou o governante.

No primeiro dia da Convenção Nacional Democrata, amanhã, Sanders discursará com a primeira-dama, Michelle Obama, para falar sobre a necessidade de se construir uma economia que funcione para a classe média. A líder dos democratas também tinha previsto falar, mas suspendeu seu discurso, segundo informou a imprensa local. / REUTERS e EFE