Romney é cotado para integrar futuro gabinete de Trump

Romney é cotado para integrar futuro gabinete de Trump

Ex-candidato presidencial em 2012 fez duras críticas a Trump durante a campanha, mas se aproximou do magnata no últimos dias

Redação Internacional

17 de novembro de 2016 | 19h49

WASHINGTON – O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, deve convidar no domingo o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney para ocupar o cargo de secretário de Estado. Romney, que foi um dos críticos mais ferozes de Trump dentro do Partido Republicano ao longo da campanha, deve discutir com o magnata o convite em uma reunião para “aparar as arestas” entre os dois.

O encontro foi confirmado pelas agências Associated Press e Reuters, além da rede de TV NBC. Outros nomes para o cargo, um dos mais importantes do gabinete presidencial também estavam sendo cogitados, como o da governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, e do ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani.

Former Republican U.S. presidential nominee Mitt Romney delivers a speech criticizing current Republican presidential candidate Donald Trump in Salt Lake City, Utah March 3, 2016. REUTERS/Jim Urquhart/File Photo

Romney foi o candidato republicano em 2012  (REUTERS/Jim Urquhart)

Ao longo da campanha, Romney, que representa uma ala mais próxima ao establishment do partido, fez duras a Trump, a quem chamou de “farsante” e “fraude”. Em resposta, o magnata chamou o ex-candidato presidencial republicano de 2012 “um perdedor. “Ele me implorou para apoiá-lo quatro anos atrás”, disse Trump.

Durante as primárias republicanas, Romney apoiou o governador de Ohio John Kasich. Após a vitória do magnata, no entanto, os dois se reaproximaram depois que Romney telefonou a Trump para felicitá-lo.
Ao longo do dia, Trump tomou uma série de decisões para acelerar a montagem de sua equipe de segurança nacional. Ele se reuniu com o ex-secretário de Estado Henry Kissinger enquanto o vice-presidente eleito e chefe da equipe de transição, Mike Pence foi ao Congresso conversar com lideranças republicanas e democratas.

Avanços. A gerente de campanha de Trump, Kellyane Conway, disse que as primeiras escolhas para os principais postos do gabinete devem sair até o fim do mês, mas ressaltou que elas cabem apenas a Trump.

Ainda ontem, a Casa Branca informou que o comitê de transição informou à atual administração a lista com as pessoas responsáveis por receber os primeiros briefings de segurança nacional – passo inicial para a montagem da nova secretaria de Estado e do Pentágono.

As pistas iniciais dadas pelo núcleo mais próximo a Trump indica que a montagem do gabinete tende a ser eclética, com uma mistura de aliados próximos e antigos rivais. Outro republicano com quem o magnata se desentendeu durante a campanha, o senador Ted Cruz, está cotado para assumir a secretaria de Justiça.

A disputa para a secretaria de Estado, no entanto, aparente estar entre Nikki Haley e Mitt Romney, uma vez que o nome de Rudy Giuliani perdeu força após a divulgação de que ele teria prestado consultoria no exterior e entre seus clientes haveria oligarcas russos. Giuliani também chegou a ser cotado para a secretaria de Justiça e é próximo a Trump. / AP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:

Mitt RomneyDonald Trump

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.