Sanders participa hoje de ato de campanha de Hillary

Presença de senador na disputa democrática empurrou candidatura da ex-primeira-dama mais para a esquerda

Redação Internacional

12 de julho de 2016 | 05h00

Cláudia Trevisan CORRESPONDENTE / WASHINGTON

Depois de garantir a inclusão de algumas de suas principais propostas na plataforma do Partido Democrata, o senador Bernie Sanders participará hoje do primeiro ato de campanha ao lado de Hillary Clinton, durante o qual deverá declarar apoio à ex-adversária. Ambos afirmaram ontem que a plataforma de 2016 é a mais progressista da história da legenda.

A presença de Sanders na disputa empurrou Hillary para a esquerda e a forçou a adotar medidas defendidas por ele, incluindo o salário mínimo federal de US$ 15 por hora e a criação de um sistema de saúde público que competiria com os seguros privados.

“Graças às milhões de pessoas ao redor do país que se envolveram no processo político – muitas das quais pela primeira vez – nós temos agora a plataforma mais progressista da história do Partido Democrata”, disse Sanders em nota divulgada no domingo. A proposta para o programa da legenda foi concluída no fim de semana e terá de ser aprovada na convenção que chancelará a candidatura de Hillary. O encontro ocorrerá entre os dias 25 e 28 na Filadélfia.

O desafio da democrata dentro do partido será conquistar os eleitores de Sanders, o senador por Vermont que ganhou popularidade com um discurso contra o sistema político tradicional e a influência do poder financeiro nas eleições americanas. O candidato permaneceu na disputa mesmo depois de Hillary conquistar o número mínimo de delegados para garantir sua nomeação.

Sanders não conseguiu incluir na plataforma democrata a rejeição a acordos de livre-comércio e a proibição do fracking para exploração de petróleo, mas emplacou muitas de suas propostas para enfrentar o aquecimento global. “Esse é o mais agressivo plano de combate à mudança climática da história do Partido Democrata. Como resultado desse plano, o gás natural não será mais visto como a ponte para o futuro. O futuro da energia na América agora claramente pertence à energia solar e eólica”, disse o assessor de Sanders, Warren Gunnels.

Hillary e dirigentes do Partido Democrata temiam que o senador por Vermont se mantivesse na disputa até a convenção da legenda, o que impediria a apresentação de uma imagem de unidade no confronto com o republicano Donald Trump.

Representante da esquerda americana, Sanders promoveu uma agenda populista, que incluía a previsão de universidade gratuita para todos e a criação de um sistema universal de saúde. Algumas de suas posições, como o ataque à política tradicional e a rejeição a acordos de livre-comércio, o aproximavam de Trump.

Com o esperado anúncio do apoio a Hillary, Sanders começará a cumprir a promessa de que fará tudo o que estiver a seu alcance para evitar que Trump seja o próximo presidente dos EUA.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.