Talk-shows americanos fazem de piada a terapia em grupo após vitória de Trump

Talk-shows americanos fazem de piada a terapia em grupo após vitória de Trump

Apresentadores e comediantes das principais emissoras americanas dedicaram parte de seus programas ao principal tema do dia: a eleição do novo presidente dos EUA

Redação Internacional

10 de novembro de 2016 | 10h34

LOS ANGELES – Os Talk shows das emissoras americanas na noite de quarta-feira, 9, misturaram de piadas a aconselhamento em grupo para retratar a vitória do republicano Donald Trump na eleição presidencial dos EUA.

“Por anos, eu sempre perguntei aos espectadores como eles estavam, mas eu nunca me preocupei com isso. Nesta noite, eu realmente me preocupo. Alguém precisa de um abraço”, disse o comediante Conan O’Brien em seu monólogo na emissora TBS.

Americanos protestam contra a eleição de Trump na frente da Trump Tower, em Manhattan (FOTO: Drew Angerer/Getty Images/AFP)

Americanos protestam contra a eleição de Trump na frente da Trump Tower, em Manhattan (FOTO: Drew Angerer/Getty Images/AFP)

Apesar da divisão entre os eleitores, O’Brien afirmou que “o otimismo, hoje, faz com que eu esteja feliz por termos eleições justa se livres no fim das contas. É algo incrível.”

No campo das piadas, o apresentador disse: “A primeira coisa que fiz nesta manhã foi ligar para o garoto que fazia bullying comigo no colegial e parabenizá-lo”.

Já Jimmy Kimmel, na ABC, levou seus espectadores aos cinco estágios do luto, incluindo a negação – “Não, o apresentador de ‘O Aprendiz’ não é o nosso presidente” -, a negociação – “Talvez ele só construa o muro até a altura da cintura, para manter apenas os baixinhos de fora” -, e, finalmente, a aceitação.

“Não importa como você se sinta sobre isso. Donald Trump é o presidente eleito dos Estados Unidos. Da América. Então, graças a Deus nós legalizamos a maconha ontem”, afirmou Kimmel, em referência à aprovação da uso recreacional e medicinal da droga em vários Estados.

Assim como O’Brien, Stephen Colbert iniciou seu monólogo perguntado para a audiência do “The Late Show”, na CBS, como eles estavam se sentindo, recebendo saudações e aplausos em resposta. “Estou feliz. Isso é melhor do que eu pensava”, disse ele, sugerindo que o país estava enfrentando “quatro anos muito interessantes”.

“Isto é o que se sente quando América já é grande novamente. Eu estava me perguntando, e eu estava realmente esperando que iria me sentir melhor, porque isso é uma droga”, disse Colbert. Falando dos protestos contra Trump em Nova York e em outras cidades americanas, o apresentador completou: “Não se deixem intimidar pelo que acontecer nos próximos quatro anos”.

Para os pais que estão com dificuldade para explicar a vitória de Trump para seus filhos, Colbert aconselhou mentir para eles: “Digam qualquer coisa. Falem que a Elsa, de Frozen, é a nova presidente”.

Em seu “Tonight”, na NBC, Jimmy Fallon optou por fazer mais piadas ao invés de expressar angústia com o resultado. “Os republicanos esperam que ele (Trump) mantenha sua promessa de construir o muro e os democratas desejam que ele mantenha a promessa de não aceitar os resultados da eleição”, afirmou.

“Depois que os resultados foram confirmados, Trump fez um grande discurso da vitória. Pois é, ele disse que nunca teria conseguido (ser o vencedor) sem a ajuda de sua mulher, sua fortaleza, sua melhor metade… O diretor do FBI, James Comey.” / AP

Tudo o que sabemos sobre:

Talk showDonald Trump

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.