Talk-shows garantem momentos hilários nas eleições nos EUA

Frequentados com uma grande regularidade pelos políticos americanos, incluindo o presidente dos EUA, os programas de auditório e de entrevistas têm tido destaque ainda maior nessas eleições

Redação Internacional

03 de novembro de 2016 | 05h00

Frequentados com uma grande regularidade pelos políticos americanos, incluindo o presidente dos EUA, os programas de auditório e de entrevistas têm tido destaque ainda maior nessas eleições.

Barack Obama é um frequentador conhecido dos talk-shows e, geralmente, suas participações rendem momentos hilários na TV americana. Já em 2009, logo após eleger-se presidente, participou dos programas de Jay Leno (Tonight Show with Jay Leno) e de David Letterman (Late Show withe David Letterman).

Obama foi o primeiro presidente dos EUA no cargo a participar de um tal-show de entretenimento, mas outros candidatos presidenciais, como destacou o livro Política e Entretenimento, já estiveram em alguns dos famosos sofás da TV americana, como George W. Bush e Al Gore, que em 2000 foram ao programa de Oprah Winfrey, entre outros.

Ao longo dos anos, os programas de comédia exibidos tarde da noite têm sido levados cada vez mais a sério. “De alguma maneira, é diferente”, afirmou Charlie Rose, ao jornal britânico The Guardian. Na reportagem, o jornal levantou a questão se esses programas podem influenciar a opinião dos eleitores.

“Acho que (a comédia) tem um efeito”, afirmou o produtor do Saturday Night Live Lorne Michaels, recentemente, ao Washington Post. “Mas nós não influenciamos como as pessoas votam.”

De qualquer maneira, tem feito parte das agendas dos candidatos presidenciais este ano ir aos programas e se deixar levar pelas brincadeiras e piadas dos apresentadores.

Em setembro, por exemplo, o republicano Donald Trump permitiu que Jimmy Fallon, do Tonight Show, fizesse algo que muitos espectadores gostariam: bagunçar o cabelo do magnata.

No mesmo mês, o mesmo apresentador se “disfarçou” de Donald Trump para entrevistar a democrata Hillary Clinton. A ex-secretária de Estado entrou na brincadeira.

A democrata também já participou do programa Ellen Degeneres e Between Two Ferns With Zach Galifianakis.

E Obama, depois de várias participações, prestes a ficar “desempregado”, passou por todas as dificuldades de uma entrevista de emprego no programa The Late Show, do apresentador Stephen Colbert, este mês.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: