Em visita ao México, Trump defende muro na fronteira

Em visita ao México, Trump defende muro na fronteira

Nas ruas da capital mexicana, cidadãos criticaram a reunião com gritos e cartazes

Redação Internacional

31 Agosto 2016 | 16h03

CIDADE DO MÉXICO – O candidato do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, manifestou nesta quarta-feira, 31, seu “grande respeito” pelo povo do México, mas reiterou ao presidente do país, Enrique Peña Nieto, a necessidade da construção de “um muro para acabar com a imigração” na fronteira comum.

Em entrevista coletiva na residência presidencial de Los Pinos, após uma reunião privada com Peña Nieto, Trump disse que os dois países vão resolver o problema da imigração ilegal, que também envolve a América Central, e insistiu na construção do muro. Ele esclareceu que na reunião não foi discutido quem pagaria pela barreira.

 

People demonstrate against the inminent visit of US presidential candidate Donald Trump to Mexico, in Mexico City on August 31, 2016. Donald Trump was expected in Mexico Wednesday to meet its president, in a move aimed at showing that despite the Republican White House hopeful's hardline opposition to illegal immigration he is no close-minded xenophobe. Trump stunned the political establishment when he announced late Tuesday that he was making the surprise trip south of the border to meet with President Enrique Pena Nieto, a sharp Trump critic. / AFP PHOTO / Alejandro AYALA

Mexicanos manifestam indignação à visita de Trump. Foto: Alejandro Ayala/AFP

A visita do magnata foi duramente criticada pelos mexicanos após a sequência de declarações xenofóbicas do republicano. No início de sua campanha, Trump disse que o México só mandava para os EUA “estupradores” e “criminosos”.

Trump desembarcou às 13h09 no México (hora local) no Aeroporto Internacional da Cidade do México. Segundo a imprensa local, ele se deslocou de helicóptero até a residência presidencial Los Pinos para se encontrar com Peña Nieto. Em seguida, ele deu a declaração à imprensa.

Nas ruas da capital mexicana, cidadãos criticaram a reunião com gritos e cartazes. Com expressões como “ato astuto” ou uma “irregularidade total”, os mexicanos demonstraram sua reprovação à visita, anunciada de surpresa na noite de terça-feira.

Na semana passada, o presidente mexicano havia convidado ambos os candidatos presidenciais americanos, Hillary Clinton e Donald Trump, para um conversa na capital do país./ EFE,AFP