Trump diz que comentários de Hillary sobre partidários dele são ‘ataque’ ao eleitor americano

Trump diz que comentários de Hillary sobre partidários dele são ‘ataque’ ao eleitor americano

Magnata afirmou que candidata democrata não pode concorrer à presidência dos EUA ‘se tem tanto desprezo’ pelos cidadãos; em outro comício, um manifestante foi agredido fisicamente por um suposto partidário do republicano

Redação Internacional

13 de setembro de 2016 | 10h56

BALTIMORE, EUA – O candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, criticou sua rival, a democrata Hillary Clinton, por dizer que metade dos apoiadores do magnata é composta por “deploráveis” chauvinistas preconceituosos, e qualificou os comentários como “um ataque explícito ao eleitor americano”. Em outro comício realizado no mesmo dia, um manifestante foi agredido fisicamente por um suposto partidário do bilionário.

O empresário utilizou as críticas para dar um novo tom à campanha, promovendo a mensagem de que Hillary é divisionista, enquanto Trump é o único candidato que representa “todos os americanos”.

Candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump (Foto: Matt Mills McKnight/Getty Images/AFP)

Candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump (Foto: Matt Mills McKnight/Getty Images/AFP)

“Você não pode concorrer à presidência se tem tanto desprezo em seu coração pelo eleitor americano”, afirmou o republicano. “Você não pode liderar essa nação se tem uma opinião tão baixa sobre os cidadãos.”

Em um discurso feito na Associação Nacional de Guardas, em Baltimore, Trump disse que os comentários de Hillary foram destinados àqueles que vestem uniformes, tanto militares quanto os que trabalham com a aplicação da lei.

“Essas foram as pessoas que Hillary Clinton demonizou tão violentamente”, destacou o magnata, que ainda pediu que sua rival se desculpasse pelos comentários. “Ela divide as pessoas em cestos como se fossem objetos e não seres humanos.”

Em outro comício feito mais tarde na Carolina do Norte, Trump continuou os ataques. “Enquanto meu oponentes os chamam de deploráveis e irremediáveis, eu os chamo de americanos patriotas trabalhadores que amam o seu país e querem um futuro melhor para todos.”

O evento foi interrompido várias vezes por manifestantes. Um deles foi esmurrado enquanto o candidato republicano criticava as ações de Hillary. Um homem, que aparentava ser partidário de Trump, agarrou pelo pescoço um manifestante, cerrou os punhos e o socou, de acordo com imagens das redes NBC e ABC. As pessoas que protestavam foram escoltadas para fora do local.

O jornal Citizen-Times, de Asheville, relatou que quatro pessoas foram presas durante o protesto. O governo do condado de Buncombe confirmou os nomes de três adultos presos citados no artigo, mas não confirmou o local das prisões.

Brigas entre partidários e manifestantes ocorreram diversas vezes em eventos da campanha de Donald Trump. / ASSOCIATED PRESS e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:

Donald TrumpHillary Clintoncríticas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.