Trump ‘passou dos limites’, denuncia Hillary

Trump ‘passou dos limites’, denuncia Hillary

Cada um desses incidentes mostra que Donald Trump não tem o caráter necessário para se tornar presidente e comandante-chefe dos Estados Unidos, disse ela

Redação Internacional

10 Agosto 2016 | 21h29

Hillary Clinton afirmou, nesta quarta-feira, 10, que seu rival republicano, Donald Trump, foi longe demais, ao sugerir, segundo ela, a resistência dos proprietários de armas, no caso de uma vitória democrata na briga pela Casa Branca.

“Ontem (terça-feira), testemunhamos o último de uma longa linha de comentários casuais de Donald Trump, que passou dos limites”, declarou Hillary, em Des Moines, no Estado de Iowa. “Cada um desses incidentes mostra que Donald Trump não tem o caráter necessário para se tornar presidente e comandante-chefe dos Estados Unidos”, completou.

Iowa based shirts are on display behind Democratic presidential candidate Hillary Clinton as she speaks after touring Raygun, a printing, design and clothing company, in Des Moines, Iowa, Wednesday, Aug. 10, 2016. (AP Photo/Andrew Harnik)

Hillary em campanha em Des Moines, Iowa. Foto: AP/Andrew Harnik

“Palavras importam, meus amigos. E, se você está concorrendo à presidência, ou se você é presidente dos Estados Unidos, palavras podem ter enormes consequências”, advertiu.

Na terça-feira, Trump sugeriu que apenas os defensores do porte de armas nos Estados Unidos poderão deter sua oponente democrata, acendendo nova polêmica na campanha eleitoral. “Se ela escolher seus juízes, vocês não poderão fazer nada, gente”, disse Trump, durante um comício em Wilmington, na Carolina do Norte.

“Embora as pessoas da Segunda Emenda – talvez possam fazer, eu não sei”, incitou, em alusão à cláusula da Constituição americana que resguarda o direito dos americanos de portar armas.

Embora o magnata nova-iorquino não tenha esclarecido o que quis dizer, exatamente, suas palavras foram interpretadas por congressistas e críticos do candidato como um apelo pelo uso da violência contra Hillary. /AFP