Trump proíbe que funcionários de seu governo trabalhem em ‘lobbys’ após deixarem cargo

Trump proíbe que funcionários de seu governo trabalhem em ‘lobbys’ após deixarem cargo

Medida tem como objetivo evitar as ligações entre Casa Branca e diversos grupos de pressão em Washington

Redação Internacional

17 de novembro de 2016 | 09h48

WASHINGTON – O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, impôs um estrito código que impedirá aqueles que aceitem um emprego em seu governo de trabalhar nos “lobbys” quando tiverem terminado o vínculo com a Casa Branca, informou na quarta-feira sua equipe de transição.

A medida tem como objetivo evitar as ligações entre a Casa Branca e os diversos grupos de pressão em Washington. A ideia foi uma das principais bandeiras de Trump durante a campanha, com a qual pretendia denunciar a “corrupção” do sistema político.

Candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump (Foto: AP Photo/Patrick Semansky, File)

Presidente eleito dos EUA, Donald Trump (Foto: AP Photo/Patrick Semansky, File)

“O essencial para esta gestão será que as pessoas que saírem do governo não possam utilizar essa experiência para enriquecer”, explicou o porta-voz republicano Sean Spicer durante uma conferência com a imprensa.

Quem aceitar a condição de Trump não poderá trabalhar para os grupos de pressão até cinco anos após deixar o cargo no governo, uma ação que pode dissuadir alguns de entrarem para a equipe do novo presidente americano. / EFE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: