Veja quais argumentos mencionados no debate entre Hillary e Trump são verdadeiros e quais são falsos

Veja quais argumentos mencionados no debate entre Hillary e Trump são verdadeiros e quais são falsos

Candidatos discutiram sobre temas como política externa, segurança nacional, economia, criminalidade, entre outros

Redação Internacional

27 de setembro de 2016 | 10h58

A democrata Hillary Clinton venceu o primeiro debate com o republicano Donald Trump a algumas semanas da eleição presidencial americana, de acordo com pesquisas divulgadas na madrugada desta terça-feira, 27. A ex-secretária de Estado manteve a calma, projetou confiança, valorizou sua experiência e conseguiu colocar o adversário na defensiva, com acusações de racismo, sexismo e despreparo.

Veja abaixo alguns dos argumentos que foram levantados durante o debate e as verdades por trás de cada um, segundo o jornal The New York Times:

Candidatos discutem em debate presidencial (Foto: REUTERS/Mike Segar)

Candidatos discutem em debate presidencial (Foto: REUTERS/Mike Segar)

Política externa e segurança nacional

Trump: “Você (Hillary) tem lutado contra o Estado Islâmico (EI) a sua vida adulta inteira”.

Realidade: O EI, que surgiu como uma filial da Al-Qaeda, foi amplamente derrotado e pressionado na Síria durante o primeiro mandato de Obama, quando Hillary ainda era secretária de Estado. Mas quando o grupo jihadista se expandiu de forma independente, por volta de 2014, ela nem mesmo estava no cargo.

 

Trump: O EI nunca teria chegado ao poder se os EUA tivessem ficado no Iraque.

Realidade: Mesmo que as 10 mil tropas continuassem no Iraque, não faria muita diferença, especialmente na Síria e na Líbia, locais que nunca as receberam.

 

Trump: Foi contrário à guerra no Iraque

Realidade: Trump disse que se opôs ao conflito antes mesmo de ele começar. Mas conforme a guerra se desenvolvia, ele expressou apoio a ela em uma entrevista.

 

Economia

Trump: Ford está saindo dos EUA e levando “milhares de empregos” com ela.

Realidade: A empresa está mudando sua indústria de muitos veículos pequenos para o México, mas já afirmou que a decisão não resultará na perda de postos de trabalho no país.

 

Hillary: Plano fiscal de Trump aumentaria a dívida dos EUA em “mais de US$ 5 trilhões” e prejudicaria as famílias de classe média.

Realidade: A fundação conservadora Tax Foundation estima que o plano de Trump custaria ao menos US$ 4,4 trilhões, enquanto para o liberal Citizens for Tax Justice, custaria US$ 4,8 trilhões. Contudo, a conta final seria muito maior. Quanto à renda da classe média, uma pesquisa recente mostra que cerca de 7,8 milhões de famílias pagariam impostos mais caros com a implementação do plano do republicano.

 

Trump: O Nafta (Tratado Norte-Americano de Livre Comércio) é “o pior acordo comercial” na história dos EUA, e possivelmente na história do mundo.

Realidade: Depois de mais de 20 anos de sua implementação, o Nafta continua a ter destaque no ambiente político, mas evidências sugerem que ele não foi um grande acordo em termos econômicos. Na verdade, o Serviço de Pesquisa do Congresso concluiu em 2015 que “os efeitos gerais do Nafta na economia americana parecem ter sido relativamente modestos”. O motivo: o comércio com Canadá e México corresponde a uma pequena parte da atividade econômica do país.

Temas gerais

Trump: Campanha de Hillary em 2008 questionou o local de nascimento do atual presidente dos EUA, Barack Obama.

Realidade: Uma jornalista disse que Sidney Blumenthal, pessoa muito próxima à Hillary na época, o encorajou a explorar as ligações de Obama com o Quênia, incluindo se ele tinha nascido nesse país. Questionamento foi negado por Blumenthal.

 

Hillary: Trump chamou a ex-Miss Universo Alicia Machado de “Miss Piggy” (“Miss Porquinha”) e “Miss Housekeeping” (“Miss Doméstica”).

Realidade: Alicia já revelou em muitas entrevistas ao longo do ano que Trump admitiu ter dito abertamente que ela deveria perder peso.

 

Criminalidade

Trump: Política conhecida como “stop and frisk” – que autoriza os policiais a parar uma pessoa na rua sem que ela tenha cometido nenhuma infração – não visa as minorias e as áreas com alta taxa de criminalidade.

Realidade: Em 2013, um juiz de Nova York, Shira A. Scheindlin, derrubou o uso da tática e a qualificou como inconstitucional, mostrando dados que revelavam que negros e latinos eram revistados com mais frequência do que os brancos.

 

Hillary: Os assassinatos em Nova York estão sendo reduzidos.

Realidade: Estatísticas de crimes mostram que os assassinatos estão acontecendo em menor número a cada ano. Uma porta-voz do Departamento de Polícia de Nova York afirmou no Twitter que os crimes violentos estão sendo reduzidos de forma significante.

Veja abaixo: Hillary e Trump batem boca no primeiro debate

Tudo o que sabemos sobre:

Hillary ClintonDonald Trumpdebate

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.