Alexanderplatz: Asdrúbal trouxe o(s) trombone(s)

Fátima Lacerda

06 de julho de 2016 | 06h30

O lugar mais democrático de Berlim, batizado para homenagear o czar russo Alexander é palco de todas as manifestações: as de cunho político, social e cultural. Até mesmo destinos trágicos tem seu palco no coração de Berlim.

Enquanto na época da divisão, Alexanderplatz era solo de cunho sombrio e amedrontador, quase um cemitério urbano, hoje, com a Berlim reunida e um Muro da Vergonha restos de concretos, Alexanderplatz é a junção de todos os fatores que desmembram na convulsão que é Berlim.

No vídeo em matéria da Globo News (veiculada em Novembro de 2009) , eu falo sobre o clima de Alexanderplatz de outrora.

https://www.youtube.com/watch?v=LIQaLsOJzQA

Asdrúbal itinerante

No início da tarde de terça-feira (05), um banda francesa da região da Normandia encantou berlineses de todas as proveniências, religiões e classes sociais que atravessavam a Praça mais caótica e movimentada da cidade.

A banda, totalmente desconhecida na Alemanha, tem o nome de La Vashfol. Em sua aventura retirante, decidiu tocar nas ruas de Berlim durante o verão. As primeiras apresentações foram nos pontos mais conhecidos e, por isso, garantem o maior número de expectadores: Alexanderplatz e em frente ao Portão de Brandemburgo, atualmente também palco da UEFA Fan Fest para os torcedores e torcedoras que querem acompanhar os jogos da Eurocopa em espaço público. 

O CD, vendido pelo valor de 5 Euros, leva o nome de “Apocalipse Now”, se mostrando coerente com a performance ao vivo dos excêntricos musicistas.

A frase que a atriz Regina Casé tinha com seu pai como código para usar sempre que uma festa estava muito chata toma, nesse contexto, um significado ao pé da letra. O Astrúbal francês trouxe, de fato, trombones. Porém no nome existe mais similaridades com os musicistas franceses do que, primeiramente, possa transparecer. Nos anos 70, o “Asdrúbal trouxe o trombone” ganhou ainda mais um significado do que o código entre Regina Casé e seu pai, Geraldo Casé. O grupo de teatro homônimo se definia “pela desconstrução da dramaturgia”* e por uma interpretação despojada em formato de criação coletiva, pontos-chave na performance ao vivo dos franceses em Berlim. Ao invés de dogmáticos jazzistas, La Vashfol fez uma anarquia performática rbano-musical. Olha o Asdrúbal aí!


 *Fonte: Wikipedia.