Muro de Berlim : Aniversário de 55 anos da construção (13.08.1961)

Fátima Lacerda

13 Agosto 2016 | 13h46

Unter den Linden vor der Sektorengrenze, Ostberlin 1962

Berlim Oriental, 1962

© Bernard Larsson/ SMB

Quando jovem, 22 anos, o fotógrafo alemão -sueco Bernard Larsson, crescido em Hamburgo e Estolcolmo era fotógrafo da “Vogue” em Paris. Ao ouvir sobre a divisão de Berlim por um muro de concreto, o jovem fotógrafo largou seu emprego na “Vogue” e foi fotografar nas duas partes de Berlim. Ao tentar um visto, teve muitas burocracias como empecilho e por isso, entrou na parte Oriental como turista. De acordo com o procedimento, era necessário que o visitante saisse do território comunista à meia-noite. Quando o passaporte alemão não ajudava, ele tentava com o passaporte sueco. As imagens que fez das duas partes de Berlim são cobiçadas hoje. No entanto, na época do Muro, os ocidentais não queriam ver suas fotos, que mostravam uma normalidade e não “O Reino do Mal”

Em 1964 o jornal “Die Zeit” publicou todo o seu livre titulado “A cidade inteira de Berlim”.

Blick über die Absperrung der CharlottenstraÃe in den sowjetischen Sektor, Westberlin 1962

Esquina Charlottenstr./Berlim Ocidental 1962

© Bernard Larsson/ SMB

 

 

Grenze zum sowjetischen Sektor, Ecke Wolliner StraÃe / Bernauer StraÃe, Westberlin 1962

De Berlim Ocidental na fronteira para o setor soviético. Esquina Wolliner Strasse / Bernauer  1962

© Bernard Larsson/ SMB

 

StraÃenbarriere und vermauerte Fensterhöhlen an der Ecke Bernauer StraÃe / Wolliner StraÃe, Westberlin 1962

“Quem atacar a RDA, será destruído”.

Berlim Ocidental, 1962

© Bernard Larsson/ SMB

 

Neue WilhelmstraÃe, Ostberlin Jahr unbekannt

Rua Neue WilhelmstraÃe, Berlim Oriental. Ano desconhecido. O quadro que chama atencao para a “Imprensa Democratica” se mostra vazio.

© Bernard Larsson/ SMB

Groebenufer an der Spree, Westberlin 1963

A burguesia de Berlim Ocidental, 1963

© Bernard Larsson/ SMB

Einkaufen am Hackeschen Markt, Ostberlin 1962

Compra no Hackescher Markt, Berlim Oriental, 1962

Ao fotógrafo saltou ao olhos a ausência de homens no cenário urbano. Na esmagadora maioria, o fotógrafo presenciou mulheres acompanhadas de criancas, indício para o grande número de mortos de homens na II Guerra Mundial.  Foram as “Mulheres dos Escombros” que, com disciplina prussiana, reconstruiram Berlim.