Neymar faz “o jogo da vida” na Final

Fátima Lacerda

06 de junho de 2015 | 08h59

 WI281C1.jpg

Hoje (06) acontece a primeira final da Liga dos Campeões em Berlim. Cidades menos magnéticas como Munique, Stuttgart e ate mesmo a pacata Gelsenkirchen, já foram sede do maior evento futebolístico do velho continente. Ela, a Final, hoje é muito especial. É a primeira do “menino Neymar” como o Galvão insiste em chamá-lo.

Porém, esse “menino” está frente ao jogo de sua vida, como declarou na noite de sexta-feira (05) durante a coletiva frente à imprensa internacional. Tudo bem que a imprensa alemã quando fala de Neymar, é como membro do “Tridente, o infalível trio sul-americano. Nessa noite de sábado do já iniciado verão berlinense com temperaturas acima dos 30 graus, Neymar tem ótimas possibilidades de sair de Berlim num outro patamar de sua carreira. Não “somente” se o Barça sair vitorioso, mas se ele tiver o papel que o alemão Mario Götze teve na final contra a Argentina na Copa do Brasil, um papel de decidir o jogo. Com o título de Man of the Match e Neymar sairá de Berlim com seu passe ainda mais caro. Mesmo que nada disso se torne realidade e o Juventus Turin seja campeão, estrear numa final da Liga dos Campeões em Berlim, no Estádio Olímpico, especialmente construído para as Olimpíadas de 1936 e onde o memorável Jesse Owens levou Hitler ao estarrecimento por ver Owens, contestar convincentemente a sua teoria que os Arianos seriam seres “superiores”. As pilastras rígidas de cunho intimidador, a cor marrom, sombria dentro de fora do estádio ainda armazenam memórias do tempo mais escuro da história européia, mas são os protagonistas, sejam eles os Rolling Stones, o Pink Floyd, Usain Bolt, um jamaicano que ali se tornou o homem mais veloz do mundo durante o Mundial de Atletismo em 2008. Junto com eles, o brasuca Neymar, esse sim, um verdadeiro fenômeno dentro e fora dos campos, contrariara a proposta original do que deveria acontecer nesse estádio que foi construído para ser objeto de prestígio de uma ideologia sórdida. Muitas vezes já se fez história nesse lugar. A mais recente delas, foi na semana passada, quando a equipe do Wolfsburg, pela primeira vez na história do clube, levou a Taça da Federação Alemã de Futebol. Hoje, Neymar pode fazer a sua história.

WI7BA61.jpgWIN_204.jpgWIN_203.jpgWIC1701.jpgWIF3031.jpg

Recordes sobre recordes

Os hotéis de luxo da capital triplicaram o valor da diária para o fim de semana. Em muitos deles, os quartos mais luxuosos já estão esgotados há um ano, desde que ficou claro, que a Final seria na capital alemã.

CGv5rliW8AEGT3VTribuna.jpg

Burkhard Kieker, chefe da agência de turismo oficial da cidade, a Visit Berlin é só alegria sobre os 50 milhões de euros que os turistas deixarão em Berlim e adjacências. 2,6 milhões a cidade gastou para a reforma do Estádio Olímpico e suas adjacências. Vale lembrar que a cidade vizinha de Brandemburgo, com seus castelos e atrativos turísticos também será visitado pelos turistas que já se encontram em peso na capital. Ao contrário do esperado, a torcida do Juventus é bem maior em números, mais barulhenta e mais visível no cenário urbano. A torcida do clube italiano terá seu ponto de encontro no centro leste da capital, Alexanderplatz. A do clube espanhol, bem menor, ganhou o espaço ao lado da igreja da memória no centro da City-West, a Praça Breitscheidplatz, a mesma que foi ponto de encontro da torcida do Borussia, no final da semana passada.

Unbenannt.png

Para o Barcelona seria a quinta vitória, para o Juventus,a terceira na historia do clube. Esse ainda leva pra Berlim a grande despedida do goleiro Gianluigi Buffon, que declarou preferir enfrentar outra equipe já que seus filhos são fissurados em Messi e Neymar. Do tipo recordar é viver, a Final traz Pirlo e Andrea Barzagli de volta ao Estádio onde foram campeões em 2006. Os dois clubes europeus chegam a Berlim como vencedores respectivamente dos campeonatos em seus países e das taças das respectivas federações em suma, para as duas equipes, o objetivo mór, a tríplice está bem perto de ser alcançada.

O Tridente

Assim e chamado o ataque fulminante do Barça, composto por Messi, Neymar e o uruguaio Suárez, esse que tem a incumbência de criar espaço no meio de tempo para Neymar e Messi finalizaram.

 A estatística, melhor a bagagem desses três 120 gols. Talvez por isso que meu amigo italiano, Francesco, torcedor doente do Juventus e apaixonado por Berlim, confessou não vir a capital para o jogo por “não aguentar presenciar uma derrota do seu time”. “Está de bom tamanho. Tivemos uma excelente temporada e já conquistamos o duplo”, disse ele tentando justificar a ausência.

2015062.jpg2015063.jpg2015064.jpg

Mini Fan-Fest para patrocinadores

Aos redores do Portão de Brandemburgo, a UEFA organizou uma Mini-Fan Fest onde o público não é o protagonista. O ponto mais criticado por torcedores e pelo presidente da Federacão Berlinense de Futebol, foi a decisão da UEFA de não oferecer transmissão gratuita no telão. A área da Fan-Fest será fechada às 20 horas horário local (15 horas no horário de Brasília). Ninguém que gosta pelo menos um pouquinho de futebol, consegue entender o porque desse tiro no pé. Certamente depois das semanas estressadas com o Poker da FIFA, o Michel Platini precisa de umas férias…

UEFA2249711_w2.jpg©UEFA

Barracas de comida, cerveja, jogos e uma fila gigante para tirar foto ou fazer um Selfie com a Taça, que ficou exposta até a noite de sexta-feira (05). Foi nessa fila que encontrei o paulista Marcos de Carvalho Alvarez, vestindo a camisa do ex-clube de Neymar. Muito animado por estar pela primeira vez em Berlim numa final da LC, ele conta. “Decidi me dar essa viagem como presente de aniversário.” Ao ser perguntado sobre o que acha quer será o resultado do jogo, ele, para a minha grande surpresa, confessou que aposta no placar de 3 x 2 para o Juventus. “Alvinegro como o meu Santos”, disse. Como assim? Ficou zangado porque o Neymar saiu do Santos, perguntei. Com seus 23 anos recém-completados, muito comunicativo e, apesar da minha surpresa, coerente em sua crença futebolística, Marcos retrucou: “Não, eu acho mesmo que isso é o desenvolvimento normal na carreira de um jogador. Na Europa, a minha equipe é o Juventus”.

O barulho ensurdecedor ao redor, distorceu o som, entretanto, pela co-incidência e pela originalidade do momento, optei por publicar o vídeo, mesmo assim.

Para os já vencedores do cobiçado troféu, a maioria é pela vitória do clube catalão. Entre eles, o brasuca ex-Stuttgart e ex-Bayern de Munique, Giovane Elber (vencedor da LC com o Bayern), o holandês Ruud Gulli (com o FC Milão) ou mesmo o francês Christian Karembeu, que em 1998 e em 2000 saiu vitorioso da Final vestindo a camisa do Real Madrid. O português Figo e o ex-capitano da seleçao alemã, Michael Ballack, já divulgaram seus palpites no Twitter.

Elber, que continua falando um alemão respeitável, é sempre contratado por emissoras de TV como analista de futebol, mandou: “Juventus é com certeza uma equipe forte, mas o Barça, com Messi, Neymar e Suárez, vai levar essa”, concluiu. 

O mundo olha pra Berlim Certa vez, temendo pelos efeitos da Guerra Fria, o ex-prefeito de Berlim Ernst-Reuter falou uma frase que tentava evitar a isolação da cidade: “Povos desse mundo, olhem para essa cidade!“. Hoje, o mundo inteiro, 400 milhoes de pessoas em 200 países irão olhar pra Berlim e os que aqui já tiveram terão seu momento Dejá vù de muuuuuuuitas saudades de estar aqui em solos tão pulsantes.

Saída dos jogadores do hotel para o estadio:

https://www.youtube.com/watch?v=C8bd1-DbYoY

Hashtags para seguir nas redes sociais: