Obrigada, Edward Snowden!

Obrigada, Edward Snowden!

Fátima Lacerda

01 de novembro de 2013 | 14h59

Com essa manchete foi publicado no último dia 27/10 a matéria no Süddeutsche Zeitung, o jornal mais respeitado da Alemanha. Nela, o artigo de autoria do jornalista político Heribert Prantl, constata:\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\\\\”A descoberta dos ataques de espionagem através dos americanos à chanceler Angela Merkel e também a outros chefes de Estado modificou todo o cenário. Ficou claro que o serviço secreto americano (NSA) já havia estraçalhado os ovos sobre os quais Angela Merkel pisava. Essa descoberta se deve a Snowden. O caratér esclarecedor de seus arquivos publicados trouxe incomensuráveis benefícios à Alemanha. Sem essas revelações, Angela Merkel ainda estaria despreocupadamente usando o seu telefone celular.\\\\\\\”\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nVeja aqui: http://www.sueddeutsche.de/politik/nsa-affaere-danke-edward-snowden-1.1805257\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nA expressão \\\\\\\”Pisar em ovos\\\\\\\” se refere especificamente à coletiva de imprensa por ocasião da visita de Barack Obama a Berlim em junho passado. Na época, o escândalo acabara de estourar, mas como de praxe em todo o seu estilo de governo, Angela Merkel optou também nesse contexto pelo eufemismo e por botar panos quentes. Desta vez, menos de propósito do que pela falta de informação fundida que até então a estavam devendo seus assessores mais próximos.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nMico midiático\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nFrente à imprensa internacional ao lado do presidente Barack Obama durante a sua visita oficial a Berlim, ficou nítido o despreparo de Merkel que foi resumido pela frase: \\\\\\\”A Internet é terreno novo/desconhecido pra todos nós\\\\\\\”, enquanto olhava para Obama ansiando a confirmação, que não veio. Imediatamente era criado no Twitter o #Hastag #Neuland. Ativistas na rede como por exemplo os \\\\\\\”Digital Natives\\\\\\\” mandaram: \\\\\\\”Dicas para \\\\\\\”essa Internet? Acabei de descobrir o Google. Lá você encontra tudo! Da uma olhadinha!\\\\\\\”. O internauta Bernd Kasperidus priorizou o fator lucro. \\\\\\\”Existe dessa #neuland uma amostra grátis?\\\\\\\”\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nNa mesma ocasião, perguntado pela imprensa sobre o que haveria de verdade nos boatos de espionagem Obama declarou: \\\\\\\”Quando eu quero falar com Angela Merkel, eu ligo pra ela\\\\\\\”.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nVale lembrar que por ocasião da visita de Obama, Merkel se encontrava em campanha eleitoral para a reeleição ao cargo de Chanceler (e não Primeira-Ministra como alguns veículos na imprensa brasileira ainda teimam denominá-la).\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n \\\\r\\\\n\\\\r\\\\nVeja aqui: http://www.spiegel.de/netzwelt/netzpolitik/kanzlerin-merkel-nennt-bei-obama-besuch-das-internet-neuland-a-906673.html\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nComo se não bastasse o mico da Chanceler, seu braço direito, Ronald Pofalla, com o intuito de neutralizar a fortíssima pressão da imprensa ao governo alemão por explicações, tomou encontros à portas fechadas em Washington como álibi e declarou como \\\\\\\”finalizado\\\\\\\” o escândalo envolvendo a agência secreta americana (NSA) e o governo em Berlim.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nDepois da divulgação dos arquivos de Snowden através do jornal The Guardian a declaração de Pofalla não \\\\\\\”só\\\\\\\” foi atropelada pelos acontecimentos como adquiriu um toque surreal e como consequência lógica se tornou fonte de inspiração para diversos programas de sátira política.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nhttp://www.youtube.com/watch?v=qh3e8Ran-Xk\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nhttp://www.youtube.com/watch?v=4xzLWeMVEYU\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nhttp://www.youtube.com/watch?v=x4u_8kfgUkM\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nCegueira teimosa\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nDurante os dois meses de intensa campanha eleitoral, o \\\\\\\”Caso NSA\\\\\\\” (jargão usado na imprensa alemã), não foi tematizado por Merkel nos discursos de campanha. A supresa dos analistas políticos é os eleitores não terem reclamado, exigido a discussão sobre esse assunto. Orientada por seus assessores, Merkel focou no tema Europa e seu sucesso no empresariado da crise, suscitanto que em time que está ganhando, não se mexe. A retórica insistente da oposição para tirar Merkel da zona de conforto, não funcionou.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nSomente depois do estouro midiático com a lista com mais de 130 chefes de estado vítimas de espionagem e da publicação da planilha que mostrava a Alemanha no mesmo patamar com a Rússia e a Arábia Saudita e de que os telefonemas dos diversos celulares de Merkel teriam sido sistematicamente protocolados desde 2002, a casa caiu. Ao invés da austera chefe de estado, Merkel passara a ser uma vítima como eu e você e todos os que usam Facebook. \\\\r\\\\n\\\\r\\\\nMudança de paradigma\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nCom a Alemanha atualmente num estado inusitado de um parlamento constituido, mas ainda sem governo (já que o partido de Merkel se encontra em longas reunioes com os socialdemocratas para uma chamada \\\\\\\”Grande coalizão\\\\\\\”) o país é regido em sistema de comissariado, ou seja, os ministros já apanharam suas cartas de demissão, mas continuam responsáveis pelos respectivos cargos até o novo governo tomar posse.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nCom essa constalação política focada na medida de forças de quem vai angariar mais ministérios no próximo governo, não há solo fértil para a investigação e a cobrança de esclarecimento e formação de uma comissão parlamentar de inquérito. Os Socialdemocratas e os Verdes já se posicionaram a favor da formação de uma nova comissão.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nMan of the Match\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\\\\"scale-671-450-03.162281936Favorit.2-300x201.jpg\\\\\\\"\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nNas notícias de ontem (31/10), a supresa venho do Enfant-Terrible do partido-verde do bairro de Kreuzberg-Friedrichshain. O único dos Verdes levado ao parlamento alemão por voto direto pela terceira vez consecutiva. Ströbele, sempre vistos nas passeatas com sua tradiconal bicicleta, sem seguranças, é um dos últimos políticos que merecem o nome de \\\\\\\”Representante do povo\\\\\\\”. Do seu currículo também faz parte a época em que era advogado de defesa dos membros da Fração do exército vermelho (Rote Arme Fraktion (RAF), em alemão), o que até hoje muitos políticos não engolem e tentam discreditá-lo por isso.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nNa encolha e em canal direto com Edward Snowden, Ströbele fez viagem secreta a Moscou para encontro de 4 horas com o americano. Na tarde da quinta-feira (31/10) as notícias sobre o encontro dos dois pipocavam initerruptamente na imprensa e nas redes sociais.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nHoje, como ele mesmo disse, de volta a solo alemão, o deputado brilhou na coletiva com orgulho estampado no rosto. As perguntas dos jornalistas tinha muitas vezes cunho superficial: \\\\\\\”Snowden tem um escritório? tem apartamento) sai pra fazer compras, pode ir ao cinema? tem um celular?\\\\\\\”. Todas essas perguntas o deputado respondia com um sorriso nos lábios de quem muito bem sabe da relevância de seu ato de rebeldia, mas rebeldia por convicção. Vale ressaltar que nas últimas eleições parlamentares, os Verdes sairam derrotados e com um resultado percentual muito abaixo do que esperado. Sem falar que Ströbele não faz parte nem da diretoria do partido, mas a percepção de fazer a hora e não esperar acontecer o tornou O Cara.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nBagagem de mão\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nNa bagagem, Ströbele trouxe uma carta de Snowden para o governo alemão, que segundo a Ströbele na coletiva de hoje teria sido \\\\\\\”enviada por Fax\\\\\\\” na manhã de hoje respectivamente à Chancelaria Federal e ao Presidente do Parlamento alemão. Perguntado por um jornalista, se a chanceler o teria ligado, ele respondeu: \\\\\\\”Eu não tenho o número do celular dela. O meu, eu sei que ela não tem.\\\\\\\”\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nO Triunfo\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\\\\"scale_671_450_03.162282046.2.jpg\\\\\\\"\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nAlém de membro do parlamento alemão na bancada dos Verdes, Ströbele é também membro da comissão parlamentar de inquérito envolvendo serviços secretos. \\\\r\\\\n\\\\r\\\\nPerguntado por um jornalista na manhã de hoje (01/11), se não teria tido medo de ser seguido por agentes americanos e se teria tido suporte do governo russo para a realização do encontro, Ströbele, deliciando o triunfo, respondeu: \\\\\\\”As formas do encontro em detalhes eu nem posso nem quero comentar. Não tive suporte dos russos e nem mesmo os procurei. O encontro se deu por canal direto\\\\\\\”, resultando segundos de silêncio mortal na sala de imprensa. \\\\r\\\\n\\\\r\\\\nA pedido de Ströbele, Snowdem formulou a carta ao governo alemão. Para ratificar a originalidade do documento este teria sido assinado pelos dois perantes à fotógrafos de agências internacionais.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nEm um cheque-mate-político Ströbele conseguiu, por escrito, a declaração de que Snowdem estaria disposto a depor na comissão parlamentar de inquérito, ainda a ser instaurada. O depoimento seria ou por presença física na Alemanha ou por vídeo em Moscou.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nReação na rede\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nAs reações ao longo da sexta-feira (01/11) variam entre ceticismo sobre o que um Verde-Rebelde poderia de fato alcançar. Analistas políticos, por sua vez, advertem na mídia sobre o perigo de exageradamente polir a imagen de Snowden, arriscando o relacionamento diplomático com os EUA principalmente no caso de um pedido de Asilo de Snowden, mesmo porque a Europa e os EUA estão com negociações adiantadas para a assinatura do tratado de livre comércio (Freihandelsabkommen, em alemão). \\\\r\\\\n\\\\r\\\\nRatificando o desconhecimento sobre a política da \\\\\\\”Velha Europa\\\\\\\”(Donald Rumsfeld), a rede CNN exibiu matéria, na qual Ströbele com o nome escrito de forma errônea foi apresentado como Ministro das Relações Exteriores (German Foreign Minister).\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nA visita de Hans-Christian Ströbele a Moscou é muito mais do que uma rasteira no governo Merkel e no alto escalão do próprio partido verde. Mesmo que uma atitude autônoma e até mesmo solitária, essa visita abre uma perspectiva de que as negociações que culminaraão no novo governo considere esse tema na agenda política do país nos próximos quatro anos inclusive por iniciativa e em parceria com o Brasil. Se o resultado for \\\\\\\”somente\\\\\\\” o questionamento e a conscientização sobre a complexidade de como manter alguma privacidade frente a um progresso tecnológico voraz que juntamente com motivos políticos, a viagem a Moscou não terá sido em vão.\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nCarta Original em Inglês:\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\\\\"scale_288_450_03.162287268Englisch.2.jpg\\\\\\\"\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nVersão em Alemão:\\\\r\\\\n\\\\r\\\\n\\\\\\\"scale_301_450_03.162287347.2.jpg\\\\\\\"\\\\r\\\\n\\\\r\\\\nCopyright Fotos: Christian Könneke (DE)

Tudo o que sabemos sobre:

BerlimEspionagemPolítica

Tendências: