Os Deuses estão em festa: Gilberto Gil em Berlim !

Fátima Lacerda

19 Julho 2018 | 09h26

© Paola Alfamor

Foi preciso um doloroso jejum de onze anos, até que o baiano Gil desse a honra de pintar na capital cultural da Europa.

Em dezembro de 2011 Gil, marcou presença com repertório intimista, acompanhado do filho Bem Gil e do violoncelista Jaques Morelembaum.

Como Ministro da Cultura, em 2006 durante o projeto “Copa da Cultura”, Gil fez dois shows na Casa das Culturas do Mundo, um no auditório, para o qual os ingressos esgotaram antes de completar uma hora da abertura da venda e outro, no dia seguinte, do lado de fora da” Casa” em show grátis, que entrou na história dos Highlights do verão berlinense. Na época, ano de Copa no país da cerveja e do futebol, muitas estrelas graúdas da MPB marcaram presença, mas o show de Gil quebrou todos os recordes de um show de um artista brasileiro em Berlim.

O jardim em frente de uma das instituições culturais mais relevantes da Alemanha, vivia uma convulsão rítmica e um frisson cultural que me lembrou do clima de terças-feiras, no Pelourinho, no ensaio do Olodum.

Desde 2006 e 2011 muita coisa mudou. Gil esteve muito doente nos dois últimos anos. Foi de muita superação e garra que ele precisou para fazer a performance ao vivo na abertura dos Jogos Olímpicos como também gravar o especial de fim de ano com o rei em 2016. As imagens mostram um Gil marcado por muitas semanas no Hospital Sírio e Libanês e muitas incertezas durante o tratamento de insuficiência renal desencadeado de um quadro de pressão alta.

Deuses em festa!

Os Deuses da musica, lá cima, estão em festa. Marley, Miles Davis, Coltrane e B.B. King estão, decerto, orgulhosos de ver Gil seguindo seus legados em, sair pelos quatro cantos do mundo, driblando os desafios de saúde, distância geográfica, horas de avião e ratificando que, sim, a musica é mesmo uma linguagem universal.

O verão berlinense de 2018 já se tornou memorável, mesmo muito antes de acabar. Quando se tem a chance de assistir o mago e mais virtuoso guitarrista de garagem, Jeff Beck, logo depois os Rolling Stones, a melhor banda do mundo e com o melhor perfomista ao vivo de todos os tempos, seguido por Gilberto Gil ao ar livre com vista para o Rio Spree, o prédio da Chancelaria Federal e para um dos poucos Skylines de Berlim, é porque o verão terá valido a pena. Para finalizar com chave de ouro a safra dos Dinossauros da Musica, dia 17 de agosto, Carlos (Santana), o mexicano que alega, no futebol, sempre torcer para o time do Brasil, irá tocar em céu aberto arroxeada por ruínas de um castelo medieval.

Goiabada de marmelo!

Há semanas atrás andando de bicicleta para o centro da cidade, encontrei Frank na rua. Ele vinha da padaria de alimentos sustentáveis e tinha um embrulho de pão preto debaixo do braço. Frank, que é o produtor de Ed Motta e já foi de tantos outros artistas brasileiros, me deu a noticia sobre a vinda de Gil muitas semanas antes do dia do evento propriamente dito. Depois de tomar conhecimento desta notícia, eu não me continha de felicidade. Já naquela mesma tarde, eu comecei a cantarolar o tema do Sitio do Pica-pau Amarelo, algo que me faz lembrar de uma infância muito feliz em solos tijucanos. Verdadeiras trilhas sonoras que, ao ouvi-las, você viaja no tempo e a viagem é Blitz, nem precisa carimbar o passaporte, nem arrumar as malas. Conversando com amigos sobre a vinda e enchendo o saco de todos eles para “impreterivelmente” irem neste show, começamos a cantar a música da boneca de milho que é gente e do sol nascente que é tao belo. “Só mesmo o Gil pode fazer uma letra tao genial como essas!”, exclamei em total expectativa para o dia que, hoje, chegou. A temperatura de 25 graus e um dia nublado é o que Berlim oferece para Gil. Depois de um vai e não vai, no site da Casa das Culturas foi divulgado que o show será no terraço, e não no auditório, o que seria uma grande lástima para o clima de verão que o show pode ter. Mas como seguro morreu de velho, os promotores só sacramentaram o lugar do show ao meio-dia do dia desta quinta-feira (19), depois de conferir a previsão do tempo.

Refavela 40 Gil & Amigos

Ao contrário da excursão do “Refavela 40” feita em território nacional, incluindo um show inesquecível no Circo Voador, RJ, em 01 de setembro de 2017, a banda contava com a participação da paulista Céu e de Moreno Veloso. Na turnê pela Europa, Gil traz Chiara Lucivelo, Mestrinho, a cantora Mayra Andrade, o filho Bem Gil, o baterista Domenico Lancellotti, entre outros.

O show em Berlim fechará a turnê europeia e o fará em grande estilo.

Os ingressos, respectivamente no valor de 24 e 28 euros (pouco mais de 100 reais).

No site do Centro Cultural foi publicado o inusitado anúncio “Esgotado não é esgotado” embolando mais do que esclarecendo. Pouco antes do show, um contingente extra será disponibilizado, assim garantiram os organizadores. Os poucos ingressos disponibilizados online nesta manha, esgotaram em menos de meia-hora. Como o show em Berlim é o único de Gil na Alemanha, é bem provável que alemaes de outras partes do país venham conferir o baiano internacional, em Berlim. Para os brasucas radicados na capital, esta será especialmente uma noite de festa, de comemoracao e de alegria e celebracao da nossa cultura.

Um das estações antes de chegar em Berlim foi no Festival Les Suds a Arles, dia 10/07.