Pep Guardiola: um teatrinho midiático, a paúra e a porta de saída

Fátima Lacerda

03 de agosto de 2015 | 09h36

mercadofutebolpep-371105.jpg©Mercado Futebol

A nova temporada do Campeonato de Futebol Alemão, a Bundesliga, inicia em 14 de agosto. A pressão sobre o técnico em conquistar todos os títulos com o Bayern é tão visível, que Guardiola iniciou um joguinho midiático que tem o intuito de preparar o terreno, caso ele não corresponda as expectativas da direção do clube em conquistar o o Triplo. O campeonato alemão, a Liga dos Campeões e a Taça da Confederação Alemã de Futebol (DFB). Guardiola é esperto o suficiente para saber que sua batata assando.

Os capítulos de uma novela midiática

Na última sexta-feira (31), Guardiola jogou lenha na fogueira instigando ainda mais especulações sobre sua permanência no clube de Munique.

Eu percebi que uma final da Liga dos Campeões não é suficiente para a equipe do Bayern. Será que eu sou a pessoa certa para alcançar a final?“, disse em tom de quem já resignou. Perguntado pelos jornalistas sobre se permanecerá no clube ele, em tom mais de ameaça do que de promessa, avisou: “É a primeira e última vez que eu vou falar sobre isso. Eu nunca me tornarei um problema para o Bayern. Se o meu faro me disser que eu estou me tornando desagradável, eu dou um passo para trás e um outro treinador vem pra cá. Eu ainda não me decidi se vou ficar. Assim que o tiver feito, informarei à diretoria do clube. No momento não há nenhuma oferta de nenhum outro time!“. Logo no dia seguinte (01), a imprensa divulgou o que o tabloide Bild chamou de “A Super Oferta de 140 milhões de Euros” do Manchester City para contratar o catalão. O interesse do clube da Premiere League já é de longa data, entretanto, segundo o jornal “The Sun”, o contrato estipulado para durar 5 anos, presenteará Guardiola com um salário anual de 28 milhões de euros. Essa informação em números foi divulgada depois da coletiva. O efeito colateral bem-vindo e não menos planejado, é que o início do poker de vários clubes e isso aumentará o valor das negociações.

Tempestade virtural

Até mesmo os torcedores do Bayern já perderam a paciência com o treinador e o grau de antipatia frente a Guardiola aumenta cada vez mais. As redes sociais e blogs de futebol se transformão em um verdadeiro Shitstorm sempre quando se trata de Pep, que na época em que foi escolhido para treinar o Bayern, foi explícito desejo do ex-presidente Uli Hoeneß, que atualmente cumpre pena em regime semiaberto pelo crime de sonegação de impostos. Com a saída de Hoeneß, Guardiola perdeu o seu maior aliado, talvez o único. Sem aliado, é só mesmo o sucesso, o jogo ganho no campo pode calar a boca dos críticos.

Ao contrário dos costumes do futebol brasileiro, quando torcedores do Vasco ou do Fluminense, em caso de derrota de seus clubes, se deslocam para as sedes em São Januário e nas Laranjeitas e agridem verbalmente (e às vezes fisicamente) os jogadores. Na Alemanha, a pressão é feita através das Organizadas, da mídia esportiva, dos sócios e dos torcedores nas redes sociais. E como o Bayern é recordista de campeonatos, o parâmetro de sucesso é altíssimo. É coisa graúda. Tem muito dinheiro e muito prestígio em jogo.

A “porta de saída” que Guardiola literalmente abriu durante a coletiva é pra garantir que ele não será escurraçado do clube (como aconteceu com o holandês Louis Van Gaal), caso o Bayern não vença de forma clara e confortável os primeiros jogos da temporada, as críticas dos torcedores e da imprensa vão massacrar Guardiola, que em breve terá atividades extras, apoiando “de forma simbólica” o partido separatista catalão nas próximas eleições regionais em 27 de setembro.

Nas redes sociais, alguns torcedores já nem mesmo acreditam que Pep ficará no cargo até o final da temporada em maio de 2016. Outros já exigem a volta de Ottmar Hitzfeld (66) o suíço que durante 7 anos foi técnico do time e que se aposentou depois da Copa do Brasil  quando treinava a seleção da Suíça. Entretanto, o mito Hitzfeld ainda continua vivo na retina dos torcedores do clube e a história já demonstrou várias vezes. Para o Bayern, nada é impossível.

Arturo43505.jpg©FCB

A postura e o discurso mostram que Pep Guardiola já está de malas prontas para sair de Munique. Agora ele é um treinador Stand By. A contratação do chileno Arturo Vidal, que jogará com a camisa 23, também será um desafio em âmbito interno e tático. Com um número inflacionário de jogadores de meio campo atualmente sobre contrato, a competição estará a todo o vapor e como dizem jornalistas esportivos, „Guardiola terá a tarefa de filtrar os talentos do meio-campo“.

Em sua primeira coletiva de imprensa como técnico do Bayern, Guardiola encantou até mesmo os torcedores adversários com convincente domínio da língua alemã e uma humildade em tom, muito bem quista já que treinadores estrangeiros no Bayern são sempre motivo de um grande ceticismo devido à sociedade über-hermética e elitista da região da Baviera. Passaram 2 e meio e o domínio da língua de Goethe e Schiller piorou consideravelmente. Talvez seja esse mais um indício do plano de deixar o Bayern, e Guardiola quer garantir que a saída será pela porta da frente.