Tiroteio em Hospital Universitário Benjamin Franklin causa dois mortos: médico e paciente

Fátima Lacerda

26 Julho 2016 | 09h12

klinikum_fu1_copy_bit_1000

13:20 horas, horário local (08:20 no horário de Brasília) o jornal berlinense Der Tagesspiegel divulgou a confirmação da polícia que no Hospital Universitário Benjamin Franklin departamento de cirurgia maxilofacial, localizado no bairro de Lichterfelde, sul de Berlim, houve tiroteio e que um médico foi morto.

Um leitor do jornal ligou para a redação e informou: “Eu estava na porta de entrada principal quando, de repente, chegou um arsenal de carros da polícia armados até os dentes. Eles fecharam todas as saídas do hospital“. O leitor também afirmou que a Unidade Especial da Polícia (SEK, na sigla em alemão) também estaria no local. Funcionários e visitantes sido orientadors pela polícia para se trancarem em seus escritóriosm. Logo em seguida, teriam deixado o prédio. Sem pânico.

O Hospital Universitário Benjamin Franklin faz parte do conglomerado do Hospital Universitário Charité, maior centro de medicina e pesquisa da Europa e de renome internacional. A polícia de Berlim confirmou, via Twitter, a morte do médico e acrescentou que o paciente se matou logo em seguida . A polícia descarta  – até o momento do final deste artigo . que o tiroteio tenha sido motivado por ataque de cunho terrorista. O médico ainda foi operado de emergência, mas não resistiu.

A Alemanha ainda se encontra sobre o choque do final de semana no sul do país. No estado de convulsão em que o mundo se encontra, com surtos e atentados, o ocorrido de hoje em Berlim não é nem poderia ser percebido como um fato isolado, mas da continuidade ao que virou „o verão do medo“.

Mais conteúdo sobre:

Benjamin FranklinCharitèSEK