Alemanha X Inglaterra no Estádio Olímpico

Fátima Lacerda

26 de março de 2016 | 15h36

É difícil fazer gol contra a Inglaterra. Isso ficou bem claro nos resultados dos jogos de qualificação com um contra-ataque muito bem formado“. Tentando botar panos quentes e não se deixar seduzir pela expectativa da imprensa com o Derby-Tradição, Loew constatou: “Jogaremos com uma equipe que vem se fortalecendo nos últimos anos“. Típica dialética do técnico da seleção alemã: sempre ressaltando o respeito pelo adversário, o levando a sério, mesmo porque: como diz o filosofia futebolística alemã, algo que o Felipão nunca entendeu; o jogo se ganha no campo e só pode ser comemorado depois que o juiz apitou o final da partida. Não importa o quanto de burburinho se faça nas coletivas antecedentes às respectivas partidas, Loew preza sempre a dialética do menos é mais.

Jamie Vardy, jogador do Leicester City, time que, atualmente,  lidera a tabela de Premiere League é, junto com Harry Keane do Tottenham, o maior perigo para a seleção alemã. Jamie, que, em 06 de fevereiro acaba de prolongar seu contrato, quer mostrar serviço e, quanto mais cedo melhor, carimbar o seu passaporte para a Eurocopa na França (10/06 e 10/07).

Por causa do centroavante mais perigoso de toda a Inglaterra, os jogadores da defesa alemã tiveram aula extra na manhã de sábado (26), para estudar imagens do jogador que tem uma carreira que mais parece um conto de fadas. Em pouco tempo, de um jogador amador, se tornou um dois mais perigosos jogadores da seleção inglesa.

Seleção alemã

Analistas de futebol são uníssonos na opinião de que o tempo “experimentos” acabou. No primeiro jogo-teste para a seleção alemã, Loew já garantiu que o ex-darling, Mario Gomez, estará na equipe desde o início da partida. Vale lembrar, que depois de altos e baixos jogando no AC Florença, ele “renasceu” no seu atual clube, o Beşiktaş Istambul. Gomez foi decisivo na disputa da Eurocopa em 2012 quando fez dois gols na partida contra a Holanda. Gomez é prata da casa. Já fazia parte da equipe da seleção na Copa de 2006.

A data oficial para a divulgação da convocação de quem vai fazer parte do time que irá disputar a Eurocopa na França é 17 de maio.

Seleção sem “Schweini”

A lesão sofria no joelho direito durante o treino de terça-feira (22) pelo jogador Sebastian Schweinsteiger do qual o Galvão Bueno até hoje não consegue pronunciar de forma, pelo menos, aceitável, preocupa os milhões de técnicos de futebol em frente à TV e nas redes sociais. Schweinsteiger, que na Eurocopa 1996 juntamente com o simpatizante do Clube de Regatas da Gávea, Lukas Podolksi, formava o time de estreantes da então equipe, se tornou o que o jargão chama Spielmacher, o regente no campo (em tradução livre) e nessa função ainda mais importante do tecnicamente.

Com a provável falta de “Basti” ou “Schweini” com é carinhosamente apelidado nos próximos testes, as redes sociais fervem pedindo a volta do ex-capitão, o lateral direito, Philipp Lahm. O baixinho que encantou Pelé na Copa de 2006, quando o veterano santista atuou como comentador para a rede pública ZDF, renunciou do cargo logo dias depois da incendiada recepção dos campeões do mundo em Berlim e dizimou a possibilidade de voltar a jogar na seleção alemã, afirmando somente querer se “concentrar na atividade no FC Bayern”, seu fiel clube.

Mesmo não valendo nada de concreto, além do fator prestígio, o Derby entre Inglaterra e Alemanha gera expectativas para o estado das equipes há poucos meses do início da Eurocopa. O palco do jogo de hoje (26) não poderia ser mais simbólico: o Estádio Olímpico de Berlim, endereço que sediou os Jogos Olímpicos de 1936 sobre a bandeira nazista e os olhos incinerados de Adolf Hitler, mas que também foi palco de shows do Pink Floyd, da melhor banda do mundo, os Rolling Stones e no ano passado, palco da final da Liga dos Campeões entre Juventus Turim e Barcelona. Foi esse mesmo estádio que “explodiu” ao presenciar o gol do brasileiro Neymar durante a prorrogação da partida que resultou no Barça levando o troféu de maior prestígio do futebol europeu. No dia 04/06 a equipe de Loew tem os seu último teste antes do início da EuroCopa.

Futebol em tempos de terrorismo

O jogo no Estádio Olímpico acontece no fim da semana do ataque terrorista em Bruxelas e uma gama de indícios de que o departamento policial e de serviço secreto de lá, cometeu muitos erros no decorrer das investigações no combate ao terrorismo.

1500 soldados alemaes, 400 deles vindo especialmente de outras cidades, foram escalados para o esquema de segurança do Estádio Olímpico. Segundo notícia vinculada por Stefan Redlich, porta-voz da polícia, alguns policiais londrinos, especialmente conhecedores da cena futebolística inglesa, estão em Berlim para apoio dos policiais escalados na capital. Ainda segundo a polícia, não há indício de nenhum atentado terrorista, seja lá o que isso, operativamente, signifique.

Na coletiva de imprensa para jornalistas especializados, o porta-voz da Federação Alemã de Futebol, DFB, alertou os jornalistas para serem, impreterivelmente, pontuais, para que o abrangente controle de segurança, não cause atrasos. No momento da finalizacao desse artigo, torcedores se amontoavam na porta do Hotel Hyatt, no centro turístico e de comércio,  Potsdamer Platz, na esperança de um autógrafo ou de uma Selfie na saída da seleção para o Estádio.

O jogo contra a Inglaterra inicia às 20:45 horas (16:45 no horário de Brasília).


Links relacionados:

http://www.dfb.de/die-mannschaft/start/

http://www.lcfc.com/news/club/

http://www.tottenhamhotspur.com/

http://www.bjk.com.tr/en

http://www.philipplahm.de/

#Hashtag Twitter:

#gereng

#DieMannschaft