As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A chance de Capriles vencer Chávez é a mesma de Romney derrotar Obama

gustavochacra

06 de outubro de 2012 | 12h59

Não descartem a possibilidade de Henrique Capriles derrotar Hugo Chávez nas eleições venezuelanas deste domingo. A maior parte das pesquisas, que não são muito confiáveis, colocam o líder venezuelano à frente. Outras dão empate técnico e algumas indicam que o rival vencerá.

Levando em conta as bolsas de apostas de Londres, a chance de Capriles vencer está em 30%. Este número é praticamente idêntico ao de Mitt Romney em seu embate contra Barack Obama nos EUA. Um relatório de um importante banco ao qual tive acesso aposta na vitória do opositor. Já uma das consultorias de risco político que mais respeito prevê vitória apertada de Chávez e muita instabilidade.

Sei que neste domingo tem eleição municipal no Brasil e, daqui um mês, nos Estados Unidos. Mas prestem atenção na Venezuela e em Capriles. O rival de Chávez defende um modelo econômico parecido com o do Brasil, aproximação da Colômbia e distanciamento do Irã. No caso dos EUA, fará como o atual presidente e continuará vendendo petróleo, mas sem o ultrapassado discurso anti-imperialista.

Claro, muitos já cravaram, desde 2002, a morte política de Chávez. Não farei o mesmo e tampouco sou especialista em Venezuela e jamais estive no país. Não é como a Síria e o Líbano, que acompanho diariamente. Mas me chama a atenção este jovem de 40 anos chamado Henrique Capriles, com sua camiseta pólo e calça jeans, que já foi governador e prefeito.

Leiam ainda o blog Radar Global. Acompanhem também a página do Inter do Estadão no Facebook

 Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

O jornalista Gustavo Chacra, correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo” e do portal estadão.com.br em Nova York e nas Nações Unidas desde 2009, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já fez reportagens do Líbano, Israel, Síria, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Egito, Turquia, Omã, Emirados Árabes, Iêmen e Chipre quando era correspondente do jornal no Oriente Médio. Participou da cobertura da Guerra de Gaza, Crise em Honduras, Crise Econômica nos EUA e na Argentina, Guerra no Líbano, Terremoto no Haiti e crescimento da Al-Qaeda no Iêmen. Também é comentarista do programa Em Pauta, na Globo News. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires. Este blog foi vencedor do Prêmio Estado de Jornalismo, empatado com o blogueiro Ariel Palacios

no twitter @gugachacra

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.