As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasil deve despencar junto com preços dos commodities, diz diretor do Morgan Stanley na Foreign Affairs

gustavochacra

12 de abril de 2012 | 12h44

 no twitter @gugachacra

O Brasil deve entrar em declínio com a queda dos preços dos commodities, de acordo com artigo do diretor de mercados emergentes do Morgan Stanley que será publicado na próxima edição da Foreign Affairs, o mais prestigiado journal de política internacional do mundo.

Segundo Ruchir Sharma, em seu artigo “Bearich on Brazil, The Commodity Slowdown and the End of the Magic Moment”,  o problema é que “o apetite global por commodities começou a cair. E, se o Brasil, não começar a dar passos em direção à diversificação, pode entrar em queda com eles (os commodities”.

No texto, Sharma ainda cita conversa com o ex-presidente do Banco Central, Arminio Fraga. O economista afirmou que o “Brasil pode ter uma década perdida”, como nos anos 1980.

Para o diretor do Morgan Stalnley, vivemos um momento absurdo. “Os restaurantes em São Paulo são mais caros do que os de Paris e os preços de escritórios são mais caros do que Nova York. Os quartos de hotéis no Rio de Janeiro custam mais do que na Riviera Francesa, os aluguéis de bicicleta são mais caros do que os de Amsterdam e os preços dos cinemas ultrapassam os de Madri”, diz.

Leiam ainda o blog Radar Global. Acompanhem também a página do Inter do Estadão no Facebook

Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

O jornalista Gustavo Chacra, correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo” e do portal estadão.com.br em Nova York e nas Nações Unidas desde 2009, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já fez reportagens do Líbano, Israel, Síria, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Egito, Turquia, Omã, Emirados Árabes, Iêmen e Chipre quando era correspondente do jornal no Oriente Médio. Participou da cobertura da Guerra de Gaza, Crise em Honduras, Crise Econômica nos EUA e na Argentina, Guerra no Líbano, Terremoto no Haiti e crescimento da Al-Qaeda no Iêmen. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires. Este blog foi vencedor do Prêmio Estado de Jornalismo, empatado com o blogueiro Ariel Palacios

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: