As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Como seria a resposta de Assad a bombardeios dos EUA e seus aliados? (melhor e pior cenário)

gustavochacra

27 de agosto de 2013 | 11h15

Meu comentário sobre a Síria no Jornal das Dez da Globo News

Leia também

Um resumo das armas químicas na Síria

Qual estratégia de Obama para a Síria? Um bombardeio punitivo, sem derrubar Assad

Vou delinear aqui o pior e o melhor dos cenários de uma resposta diante do já praticamente certo bombardeio dos EUA e seus aliados europeus contra a Síria.

 O que o ataque tende a causar – Deve destruir instalações militares e políticas do regime. Não está claro se instalações de armas químicas também seriam alvejadas. A ação não será prolongada. O bombardeio tende a ser punitivo e por pouco tempo

 A resposta de Assad (Pior dos cenários) – Ações em massa contra áreas opositoras seriam levadas adiante com inúmeros massacres, incluindo uso indiscriminado de armas químicas. A Jordânia provavelmente seria alvo de ataques do regime. Israel tem o poder de dissuasão, mas talvez também acabe sendo alvo. No Líbano, as ações seriam restritas a carros-bomba contra alvos sunitas. O Hezbollah ficará de prontidão diante da possível eclosão do pior dos cenários e, se os israelenses responderem, talvez abra uma frente no sul do Líbano

 A resposta de Assad (Melhor dos cenários) – O líder sírio esperaria pelo resultado dos bombardeios. Mostraria os civis mortos e exibiria para o mundo o resultado dos ataques de Obama em uma tática de PR. Diria que o presidente dos Estados Unidos abertamente se aliou à Al Qaeda contra as minorias religiosas, incluindo os cristãos. Na ONU, a Rússia faria um protesto formal pelos ataques. E Assad concentraria toda a sua resposta nos opositores. Talvez vejamos atentados terroristas em outros lugares do mundo

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antisemitas e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus. Escrevam para mim no  gugachacra at outlook.com. Leiam também o blog do Ariel Palacios

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.