As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Da ONU a Terra Santa – Obama (e o mundo) entre o sonho e o pesadelo no Oriente Médio

gustavochacra

23 de setembro de 2010 | 09h24

UPDATE – OBAMA PEDIU A MANUTENÇÃO CONGELAMENTO NAS CONSTRUÇÕES NOS ASSENTAMENTOS

Em um dos poucos discursos que interessam na Assembléia Geral da ONU, o presidente dos EUA, Barack Obama, defendeU abertamente a criação de um Estado palestino. O líder americano afirmou até mesmo que, se houver acordo, no ano que vem as Nações Unidas já terão um novo país membro.

Caso os dois lados fracassem, “os palestinos nunca desfrutarão do orgulho e da dignidade que vem junto com um Estado. E os israelenses nunca possuirão a segurança que vem com a soberania e vizinhos estáveis comprometidos com a coexistência”, segundodisse o líder americano na ONU.

Acho interessante aproveitar o discurso do Obama e perguntar o que os leitores acham que deve acontecer daqui um ano

1)  Sonho do Obama – O Estado palestino será criado. Seu território englobará a maior parte da Cisjordânia e a Faixa de Gaza. Jerusalém permanecerá unificada, mas capital dos dois Estados. Os refugiados retornarão à Palestina, mas não Israel

2) Pesadelo do Obama – Os palestinos continuarão sem Estado. Israel permanecerá inseguro. “As realidades demográficas aumentarão. A Terra Santa seguirá como símbolo de nossas diferenças”, segundo o presidente

Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes

O jornalista Gustavo Chacra, mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia, é correspondente de “O Estado de S. Paulo” em Nova York. Já fez reportagens do Líbano, Israel, Síria, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Egito, Turquia, Omã, Emirados Árabes, Yemen e Chipre quando era correspondente do jornal no Oriente Médio. Participou da cobertura da Guerra de Gaza, Crise em Honduras, Crise Econômica nos EUA e na Argentina, Guerra no Líbano, Terremoto no Haiti e crescimento da Al Qaeda no Yemen. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires. Este blog foi vencedor do Prêmio Estado de Jornalismo em 2009, empatado com o blogueiro Ariel Palacios

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.