As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Defender o embargo a Cuba é uma política de direita ou de esquerda?

gustavochacra

06 de abril de 2014 | 13h04

A Revista The Economist, bastião do livre-mercado há quase dois séculos, defendeu em editorial nesta edição o fim do embargo a Cuba, citando razões econômicas. Eu tb sempre achei embargos econômicos políticas de esquerda e ultrapassadas. Basta ver como os EUA se beneficiam do comércio com o Vietnã e a China e perdem com os embargos a Cuba e ao Irã. No fim, Brasil, China e Europa aproveitam.

O ex-governador da Florida Charlie Crist, um ex-republicano que deve voltar ao cargo como democrata, também passou a defender o fim do embargo, assim como muitos jovens cubano-americanos. Simplesmente, o embargo a Cuba é, atualmente, uma estratégia burra e não funcionou, ao longo de 54 anos, para tirar do poder o ditadura dos irmãos Castro. Isso em uma ilha na qual fenômenos da travessia já conseguiram cruzar a nado para a Flórida.

Nos tempos da Guerra Fria, para os EUA, fazia sentido o embargo. Mas, nos dias de hoje, ainda mais com o regime cubano querendo abrir a economia, conforme afirma a The Economist, que é tudo menos de esquerda, esta política apenas prejudica os americanos.

Infelizmente, nos EUA, existe uma direita que age como esquerda ao colocar obstáculos ao livre-mercado. Economias abertas, e não protecionistas, sempre serão beneficiadas. O Irã compra frango do Brasil, que poderia comprar petróleo barato do Irã. Cuba pode exportar cana de açúcar para os EUA mais barato que é para os americanos comprar do Brasil ou usar o milho. Os cubanos podem comprar produtos industrializados dos EUA em vez da Europa. 

Apenas comentários do post do dia ou do post prévio serão publicados

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, antocristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus. Escrevam para mim no gugachacra at outlook.com. Leiam também o blog do Ariel Palacios

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.