As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Do Cairo a Sanaa – Conflitos no Yemen serão piores do que em Bahrein

gustavochacra

18 de fevereiro de 2011 | 08h29

no twitter @gugachacra

Estou em São Paulo por uns dias. No domingo, encontrarei os leitores no bar Empório,a na Vila Madalena, às 14h

Conforme escrevi ontem, o Bahrein corre risco de ter guerra civil. A minoria sunita, atualmente no poder, deverá tentar se defender da rebelião da maioria xiita. No Yemen, o cenário é aínda mais complicado. País mais pobre da região, tem um histórico de guerra civil, separatistas no sul, rebeldes no norte e presença da Al Qaeda e de outros grupos afiliados.

A maior parte da população adulta masculina do Yemen porta armas. Quase 80%, independentemente do sexo, consome uma droga denominada qat. Quando visitei o país, me senti relativamente seguro em Sanaa. Mas o governo não exerce controle em regiões a mais de 30 km da capital.

Pelo que vi no Yemen e acompanhando o país, considero difícil qualquer autoridade conter um conflito. Nem mesmo o presidente Ali Abdullah Saleh. Os houthis devem aproveitar a crise e os levantes no Bahrein para voltar a se lutar contra o governo. Os separatistas do sul, vendo a autoridade fraca de Sanaa, devem pegar em armas. Talvez, com a ajuda da Al Qaeda, que deve aproveitar o vácuo de poder que organizar ataques terroristas na região e em outras partes do mundo. A pirataria também pode crescer. 

O Yemen corre o risco de virar uma Somália ou algo ainda pior. Talvez, o país mais perigoso do mundo. Uma alternativa não descartada seria a intervenção de tropas sauditas ou até mesmo americanas.

 Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes

O jornalista Gustavo Chacra, mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia, é correspondente de “O Estado de S. Paulo” em Nova York. Já fez reportagens do Líbano, Israel, Síria, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Egito, Turquia, Omã, Emirados Árabes, Yemen e Chipre quando era correspondente do jornal no Oriente Médio. Participou da cobertura da Guerra de Gaza, Crise em Honduras, Crise Econômica nos EUA e na Argentina, Guerra no Líbano, Terremoto no Haiti e crescimento da Al Qaeda no Yemen. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires. Este blog foi vencedor do Prêmio Estado de Jornalismo em 2009, empatado com o blogueiro Ariel Palacios

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.