As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Guerra em Gaza reduziu apoio ao Hamas entre os palestinos, diz pesquisa

gustavochacra

13 de fevereiro de 2009 | 23h36

A guerra em Gaza foi negativa para o Hamas, de acordo com pesquisa publicada nesta semana pelo Centro Palestino de Opinião Pública. O apoio ao Hamas na Faixa de Gaza era de 51,5% em novembro de 2008, antes do fim do cessar-fogo que culminou no confronto contra Israel. Depois do conflito, que resultou na morte de cerca de 1.300 palestinos, apenas 27,8% dos moradores do território disseram apoiar a organização. O novo levantamento coloca o Fatah como o grupo mais popular em Gaza, com 42,5%, crescendo dez pontos percentuais em relação há três meses atrás.

Se eleições fossem realizadas hoje, o Fatah teria 40,6% dos votos em todos os territórios palestinos (Cisjordânia, Faixa de Gaza e Jerusalém Oriental), enquanto o Hamas ficaria com 31,3%.

Por outro lado, os palestinos acreditam em sua maioria que o Hamas continua poderoso. Para 22,4%, cresceu tremendamente a força do grupo. Outros 21,1% disserem que aumentou de alguma forma. Segundo 29,7%, continua igual. Ao todo, 22,7% afirmam ter diminuído um pouco e 4,1% muito.

O apoio ao lançamento de foguetes pelo Hamas contra o território israelense é apoiado por 39,3% dos palestinos. Os contrários somam 28,2% e o restante não sabe dizer.

A maior parte dos palestinos (54,1%) acha que ninguém venceu a guerra em Gaza, contra 34,1% que indicaram o Hamas, 10,5%, Israel, e 1,3%, o Fatah. Segundo 54,4%, Israel foi responsável pela guerra. Apenas 14,5% dos palestinos culpam o Hamas.

Mais da metade dos palestinos afirma que o Hamas tem navegado em uma direção negativa (51,3%). Para 41,7%, o grupo está na direção correta. Os palestinos se dividem sobre o Fatah, com 46% vendo o rumo positivo e 46% enxergando como negativo.

Apenas comentários que tenham alguma relação com o post serão publicados. Como sempre, comentários anti-árabes, anti-semitas e islamofóbicos serão vetados. Serei rigoroso também em textos com ataques entre leitores. Comentários que coloquem um povo ou uma religião como superiores tampouco entram

obs. Estou em Nova York e ficarei aqui alguns dias, antes de ir para Istambul

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: