As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Guia para entender o drama dos refugiados sírios na Europa

gustavochacra

01 Setembro 2015 | 10h31

1. Há dois grupos de pessoas tentando entrar ou permanecer na Europa – os refugiados e os imigrantes. Os refugiados são pessoas que fogem de guerras, como na Síria, ou de regimes opressores, como na Eritreia. Os imigrantes são de diferentes partes do mundo, incluindo de países europeus mais pobres, como Kosovo ou Macedônia, que imigram em busca de uma vida economicamente melhor

2. As duas rotas principais para entrar na Europa são cruzando o Mediterrâneo, a partir da Líbia e chegando à Itália, ou por terra, atravessando a Turquia por terra até atingir a Grécia

3. Parte deles recorre a traficantes de pessoas, muitas vezes da Bulgária e da Romênia, que os amontoam em caminhões, como aquele que resultou na morte de mais de 70 pessoas. O mesmo vale para os que cruzam pelo mar Mediterrâneo, com milhares morrendo apenas neste ano em barcos clandestinos, super lotados e sem segurança

4. Os imigrantes, pela lei europeia, devem ser deportados para os seus países de origem assim que que forem capturados na Europa

5. Os refugiados precisam aplicar para asilo político no primeiro país da União Europeia que pisarem. Naturalmente, a maioria teria de pedir o asilo na Grécia ou na Itália. Estes dois países, porém, não têm condições de dar abrigo a todos os refugiados

6. Um dos problemas é diferenciar refugiado de imigrante. Por exemplo, um imigrante tunisiano pode fingir ser sírio para ter asilo político. E mesmo os sírios podem ter dificuldades para provar suas origens, visto que muitos deles não possuem documentos

7. A Alemanha decidiu conceder asilo político a todos os refugiados sírios que chegarem ao país, independentemente de terem passado por outras nações da União Europeia. Ao mesmo tempo, o governo alemão tem pedido para outros países europeus fazerem mais pelos refugiados

8. No caminho para a Alemanha, os refugiados precisam cruzar por outros países europeus, alguns deles com grupos abertamente xenófobos e não membros da União Europeia, como a Sérvia ou a Macedônia, que têm prendido refugiados e imigrantes. A Hungria, que é o primeiro país da união no caminho, construiu uma barreira na fronteira com a Sérvia e não permite que os refugiados cruzem. Também proibiu que eles embarquem em trens em direção à Alemanha

9. Mesmo quando atingem seu destino, os refugiados precisam esperar meses até seus pedidos de asilo serem aprovados. Apenas depois disso podem começar a trabalhar legalmente

10. Na Europa, a Alemanha e a Suécia são os países que mais têm ajudado os refugiados. No mundo, o Líbano, Jordânia e Turquia são os que mais concedem abrigo aos refugiados. Cada um deles recebeu mais de 1 milhão de sírios. No caso libanês, isso equivale a um terço da população do país

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus