As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Jovem e hispânico, Marco Rubio pode ser o candidato republicano?

gustavochacra

13 de abril de 2015 | 12h52

O senador republicano Marco Rubio, da Florida, anunciou hoje a sua candidatura para as primárias presidenciais do Partido Republicano. Jovem e carismático, ele tem tudo para ser um nome forte na disputa, especialmente se fizer uma boa campanha.

Caso seja o escolhido, Rubio tem potencial para, nas eleições gerais, derrotar Hillary Clinton, favorita absoluta nas primárias democratas. Seu índice de “favorability”, levando em conta tanto o reconhecimento de seu nove como a popularidade, é razoável, não muito diferente do de Barack Obama ou Hillary, superior ao de Jeb Bush, de Ted Cruz, e de Rand Paul e similar ao de Scott Walker, que são seus principais rivais nas primárias.

Perfil de Rand Paul

Perfil de Hillary

Este índice tem uma importância maior neste momento do que as pesquisas, nas quais Marco Rubio tem 7,3%. Segundo a média compilada pelo site Real Clear Politics, o ex-governador da Flórida e moderado Jeb Bush lidera com 16,5%, seguido por Walker, conservador e governador de Wisconsin (15,3%), o senador ultra conservador do Texas Ted Cruz (10,5%), o senador libertário de Kentucky Rand Paul (9,8%), o neurocirurgião ultra conservador Ben Carson (9%), o religioso conservador Mike Hukabee (8,5%), pelo moderado governador de Nova Jersey Chris Christie (5,5%).

Cubano-americano e jovem, nascido em 1971, Rubio tem penetração no eleitorado hispânico, assim como Jeb Bush (casado com uma mexicana e fluente em espanhol). A primária na Flórida, Estado de ambos, deve ser decisiva para ver qual dos dois ficará na disputa. Curiosamente, Jeb foi uma espécie de mentor de Rubio e os dois eram grandes amigos.

Rubio também tem relativa experiência em política externa e se envolveu em uma série de questões internacionais no Senado, concorde-se ou não com suas posições. Assim como Jeb Bush, o senador é moderado em relação à imigração em um partido no qual a narrativa mais conservadora e anti-imigrantes, como a de Ted Cruz, tem mais força neste momento.

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus.