As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Junto com 16 jovens brasileiros, lanço livro sobre estudar e viver no exterior

gustavochacra

07 de agosto de 2012 | 17h11

Embarco daqui a pouco de Nova York para São Paulo e, nesta quarta-feira (amanhã ou hoje, dependendo de quando você ler), dia 8 de agosto, lançarei o livro Fazendo as Malas – A História de Jovens que contribuem com o Brasil a partir de suas experiências no exterior. Será às 19h, na Saraiva do Shopping Ibirapuera, Somos 16 brasileiros de diversas áreas que estudaram em universidades e americanas e/ou européias e trabalham em outros países. Há de médica sem fronteiras que viveu no Iraque, Gaza e Tchetchênia, cineasta premiada por filmes Israel-Palestina, executivo de banco, professor de sociologia da Columbia, de tecnologia de Stanford, neurologista e até dentista. Eu entrei como representante do jornalismo. Os organizadores são dois funcionários do Banco Mundial e o prefácio é do Celso Amorim

Aqui, minha entrevista para a Globo News contando do livro 

Os outros integrantes do livro são

Carla Satie Kamitsuji, paulistana e médica psiquiatra, trabalhou na organização “Médicos Sem Fronteiras” na África, no Iraque e nos Territórios Palestinos. Atuou também junto ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha no sul da Rússia (Tchetchênia)

Carla Ricchetti é paranaense, advogada e mestre em Relações Internacionais e Finanças pela Columbia University (minha colega de classe). Morou na Austrália, Europa, Estados Unidos, viajou por toda Ásia, parte da África e, atualmente, vive em Hong Kong há mais de 3 anos. Trabalha no International Finance Corporation, Banco Mundial, em projetos de investimentos em energia renovável e tecnologias limpas. 

Daniel Monte Serrat Prevedello, curitibano e médico neurocirurgião, vive nos Estados Uniidos em Columbus, Ohio. É especialista em cirurgia de base de crânio e pesquisas em neuroanatomia

Danyela Souza Egorov. paulista de Bauru. Estudou administração de empresas na Fundação Getúlio Vargas e trabalha como diretora financeira das escolas públicas de Boston. Cursou o Mestrado de Políticas Públicas em Harvard, onde se especializou em políticas educacionais

Grace Menck Figueroa, natural de Campinas, é advogada e mestre em Direito Internacional Público pela Université de Genève e em Direito Internacional Ambiental pela George Washington University. Viveu na Suíça e trabalha no Banco Mundial, ondedesenvolveu estudos sobre Direito de Propriedade e Ambiental na Amazônia brasileira. Trabalhou com direitos humanos na Organização dos Estados Americanos

Gustavo Chacra (Guga), paulista e correspondente do jornal O Estado de S. Paulo em Nova York e nas Nações Unidas, é mestre em Relações Internacionais pela Columbia University. Já fez reportagens no Líbano, Israel e Síria, entre outros países, quando era correspondente no Oriente Médio. No passado, foi correspondente da Folha de S. Paulo em Buenos Aires. Atualmente também é comentarista do Programa Globo News Em Pauta

Humberto Laudares é mineiro de Alfenas, gestor público e mora em Genebra na Suíça. Viveu nos Estados Unidos, onde estudou na Columbia (meu colega de classe) e trabalhou no Banco Mundial e no Governo do Estado de São Paulo

Julia Bacha, carioca e cineasta, viveu no Oriente Médio antes de se mudar para Nova York, onde estudou na Columbia. Ela foi diretora e produtora do premiado documentário Budrus. Aos jovens brasileiros pensando em ingressar na carreira de cinema, Julia recomenda a versatilidade como caminho para as melhores oportunidades.

Katiuchia Uzzun Sales, paulistana e formada em Odontologia, obteve o doutorado em Patologia Bucal pela Faculdade de Odontologia da USP e especialização em Endodontia pela Faculdade de Odontologia da Universidade Santa Cecília. Realizou pós-doutorado no National Institute of Dental and Craniofacial Research/National Institutes of Health, onde atua como pesquisadora.

Marcos Poplawski Ribeiro nasceu na zona norte da capital paulista. Economista com doutorado na Universidade de Amsterdã, na Holanda, foi pesquisador e professor de universidades europeias e trabalha no Fundo Monetário Internacional em Washington. É entusiasta da Lei de Responsabilidade Fiscal e da criação de agências fiscais independentes para supervisionar gastos públicos.

Mauricio José Serpa Barros De Moura é carioca de nascimento e paulistano de coração. É economista com experiência no mercado financeiro e em multilaterais, como ONU e Banco Mundial, e professor da George Washington University. Com seus mestrado de Chicago aprendeu que pode ser alcançada uma melhoria de vida da população, fortalecendo o sistema financeiro e consolidando o direito de propriedade.

Nathan Mendes Souza, mineiro é médico, é doutorando e pesquisador na área de saúde no Canadá. Fez mestrado em Cuba e colaborou com a da Organização Pan-Americana de Saúde. Ao longo da carreira deparou com notáveis experiências na sua área e vê o uso de evidencia de pesquisa e a atenção primária a saúde como elementos fundamentais para melhorar o sistema de saúde no Brasil.

Paulo Blikstein é paulistano, engenheiro pela USP e doutor em educação. Mudou-se para os Estados Unidos para cursar o mestrado no MIT Media Lab e o doutorado na Northwestern University, em Chicago. É professor em Stanford, onde pesquisa e cria novas tecnologias para a educação, e fundador e diretor do Centro Lemann para o Empreendedorismo e Inovação na Educação Brasileira. 

Paulo da Silva, natural deBebedouro (SP), viveu as dificuldades de ser negro num país em que discutir questões raciais ainda gera polêmica. Doutor em educação pela Universidade Columbia, obteve bolsa para fazer mestrado e doutorado em Nova York, onde vive atualmente. Especializou-se em políticas públicas na educação e busca entender os desdobramentos de raça e classe no âmbito do ensino superior do Brasil.

Renato Mazzola, paulistano e economista, viveu mais de dez anos fora do Brasil. Trabalhou para o Banco Interamericano de Desenvolvimento, onde liderou o financiamento dos projetos do Rodoanel Oeste e da Linha 4 do Metrô de São Paulo. Regressou ao Brasil em 2011 para atuar no setor de Infraestrutura do Banco BTG Pactual. Para Renato, o aumento de investimentos privados e o desenvolvimento de fontes alternativas de financiamento de longo prazo são essenciais para garantir a expansão dos investimentos no setor de infraestrutura no Brasil.

Roselene de Queiroz Chaves,g oiana, engenheira agrônoma e pesquisadora da Embrapa. Desde cedo descobriu a paixão pela agricultura. Acredita que o futuro do país depende do desenvolvimento de sua grande vocação: o agronegócio. Estudou na França e Estados Unidos, e sua experiência no exterior mostrou que a participação das redes de colaboração desempenha papel fundamental no desenvolvimento científico e tecnológico.

Samuel Vissotto, paulista de Piracicaba, engenheiro, especializou-se nos mercados de produtos e serviços de alta tecnologia. Já trabalhou nos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Inglaterra, Irlanda, em vários países da América Latina e na Holanda, onde vive atualmente. Samuel possui mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento de negócios nas áreas de mobilidade, tecnologia e mídias diversas.

Sidney Nakao Nakahodo nasceu e foi criado no interior de São Paulo. Estudou engenharia na USP e se especializou em economia e política internacional em ambos os lados do Atlântico norte, onde viveu na maior parte da última década. Trabalha com projetos em países em desenvolvimento destinados a reduzir emissões de gases estufa. Atuou junto ao setor privado, think tanks e organismos multilaterais.

 

Tendências: