As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kasich, governador de Ohio, é o mais preparado pré-candidato republicano?

gustavochacra

22 de julho de 2015 | 11h07

Um dos mais preparados pré-candidatos republicanos à Presidência dos Estados Unidos lançou a sua candidatura ontem, mas, infelizmente, talvez não se classifique entre os dez primeiros colocados do partido para participar do debate da FOX News. John Kasich, o atual e bem sucedido governador de Ohio, o mais importante swing state, como são conhecidos os Estados sem predomínio republicano ou democrata, ficaria de fora enquanto o pateta racista Donald Trump teria lugar garantido.

Apenas para resumir o histórico de Kasich, um dos políticos mais carismáticos dos EUA e que sempre discursa de improviso, sem a necessidade teleprompter, ele foi deputado por nove mandatos e chegou a comandar a comissão do Orçamento na Câmara dos Deputados. Depois de passar alguns anos na iniciativa privada, foi eleito governador de Ohio em 2010. Quando assumiu, a taxa de desemprego no Estado era de 11%, acima da média do país. Hoje, é de 5%, abaixo da média americana. Além disso, ajustou as contas e faz o Estado crescer. Para completar, tem visões moderadas na área da saúde (apoia a reforma do sistema médico feita por Obama) e defende uma via para a cidadania para os imigrantes sem documentos.

A mais importante conquista de Kasich, porém, se dá no campo eleitoral. Ele foi reeleito, como republicano, com 31 pontos percentuais de vantagem nas eleições de 2014. Naquele ano, Ohio ficou nas mãos de Barack Obama nas eleições presidenciais. Não podemos esquecer, como disse acima, que Ohio é o mais importante swing state, onde uma vitória é quase obrigatória. Possivelmente, Kasich derrotaria Hillary Clinton com relativa facilidade.

O problema para Kasich, formado pela Ohio State University, é se tornar conhecido e emplacar pelo menos nos debates e, assim, crescer para as primárias em New Hampshire, onde o eleitorado republicano é mais moderado do que em Iowa. Uma vitória ou um segundo lugar no Estado fortaleceriam a sua campanha.

Segundo as regras da Fox News, apenas os dez primeiros colocados participam do primeiro debate. Isso inclui os favoritos Jeb Bush (ex-governador da Florida), Marco Rubio (senador pela Florida) e Scott Walker (governador de Wisconsin); o semi-libertário Rand Paul (senador por Kentucky), o conservador Ted Cruz (senador pelo Texas), o também conservador e único afro-americano Ben Carson (neurocirgião, sem histórico político), Rick Perry (ex-governador do Texas), Micke Huckabee (ex-governador de Arkansas), Chris Christie (governador de Nova Jersey), além de Trump.

Kasich, embora estatisticamente empatado, disputa espaço assim como Bob Jindal (governador da Lousianna), Lindsey Graham (senador pela Carolina do Sul), Rick Santorum (ex-senador pela Pensilvânia), Carly Fiorina (executiva) e George Pataki (ex-governador de Nova York). Uma participação no debate seria fundamental para os eleitores o conhecerem melhor.

Guga Chacra, comentarista de política internacional do Estadão e do programa Globo News Em Pauta em Nova York, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já foi correspondente do jornal O Estado de S. Paulo no Oriente Médio e em NY. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco são permitidos ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista 

Acompanhe também meus comentários no Globo News Em Pauta, na Rádio Estadão, na TV Estadão, no Estadão Noite no tablet, no Twitter @gugachacra , no Facebook Guga Chacra (me adicionem como seguidor), no Instagram e no Google Plus