As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Leah Rabin escreveu em cartas que Netanyahu era mentiroso e monstruoso

gustavochacra

26 de outubro de 2009 | 11h43

“Eu rezo para que os dias deste governo estejam contados. Benjamin Netanyahu é um indivíduo corrupto, um mentiroso que está arruinando tudo o que é bom de nossa sociedade”

Leah Rabin, mulher do premiê de Israel e Nobel da Paz, Yitzhac Rabin, em novembro de 1998

“Nós todos queremos que este pesadelo termine, que esta monstruosidade chamada Netanyahu se perca”

Leah Rabin, março de 1999

Os comentários foram feitos em cartas de Leah Rabin, falecida em 2000, para amigas, na primeira vez que Netanyahu governou Israel. Seu marido, Yitzhak Rabin, foi assassinado por um extremista judeu há 14 anos. Seguramente, Rabin é dos estadistas mais respeitados da história do Oriente Médio. Até mesmo os palestinos, sírios e libaneses, inimigos de Israel, admiravam o primeiro-ministro. Não há dúvida de que, se Yigal Amir não o houvesse assassinado, a história do conflito entre israelenses e palestinos seria diferente.

Netanyahu, por sua vez, sempre foi visto com desconfiança não apenas no mundo árabe, mas também dentro de Israel e nos Estados Unidos. Neste ano, ele voltou ao cargo de premiê.

Mais informações sobre as cartas de Leah Rabin podem ser lidas no Haaretz

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.