As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mubarak preso, Kadafi morto, Ben Ali no exílio, Assad isolado. E a ditadura saudita?

gustavochacra

02 de junho de 2012 | 10h53

no twitter @gugachacra

Hosni Mubarak foi preso, julgado e condenado. Ben Ali fugiu para o exterior. Abdullah Saleh deixou o poder, mas ainda segue sabotando o seu sucessor. Muamar Kadafi morreu. Bashar al Assad é acusado de crimes contra a humanidade. E a ditadura travestida de monarquia em Bahrain também seguem com suas torturas e prisões de pessoas que se opõem aos Al Khalifa.

Enquanto isso, na Arábia Saudita, o rei Abdullah mantém um regime de Apartheid contra as mulheres e minorias religiosas. Elas não podem dirigir e nem disputar as Olimpíadas. Xiitas são perseguidos e não desfrutam de liberdades.

Nos Emirados Árabes, não há eleição nem para síndico. Omã? O sultão Qaboos é o dono do país. Qatar autoriza a Al Jazeera a criticar todos os governos do mundo, menos o de Doha, claro. O Kuwait até avançou, mas nunca seria chamado de democracia. A Argélia realizou eleições suspeitas. O Marrocos é o único que realmente dá passos em direção a um Estado democrático, mesmo sem revolução.

Claro, isso sem falar no Líbano, uma democracia sectária, e o Iraque, que aos poucos se converte em uma ditadura de Nouri al Maliki.

Leiam ainda o blog Radar Global. Acompanhem também a página do Inter do Estadão no Facebook

Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

O jornalista Gustavo Chacra, correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo” e do portal estadão.com.br em Nova York e nas Nações Unidas desde 2009, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já fez reportagens do Líbano, Israel, Síria, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Egito, Turquia, Omã, Emirados Árabes, Iêmen e Chipre quando era correspondente do jornal no Oriente Médio. Participou da cobertura da Guerra de Gaza, Crise em Honduras, Crise Econômica nos EUA e na Argentina, Guerra no Líbano, Terremoto no Haiti e crescimento da Al-Qaeda no Iêmen. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires. Este blog foi vencedor do Prêmio Estado de Jornalismo, empatado com o blogueiro Ariel Palacios