As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Não adianta apenas ser cool para ser premiê de Israel

gustavochacra

07 Maio 2012 | 16h51

no twitter @gugachacra

Veja como funciona o novo sistema de comentários dos blogs do Estadão.com.br

Israel deve tomar cuidado com políticos que querem apenas falar dos problemas domésticos do dia a dia, como Yair Lapid, o candidato “cool”. O ideal é votar em quem se preocupa também com assuntos de segurança e de política internacional. Afinal, os israelenses vivem um país pequeno na vizinhança mais complicada do mundo.

Querer fingir que não existe um conflito com os palestinos, ignorar a questão iraniana, não tocar no distanciamento egípcio, evitar abordar a guerra civil na Síria, as ameaças do Hezbollah no Líbano e a derrocada do rei Abdullah na Jordânia demonstra ignorância ou despreparo.

Os israelenses deveriam optar por figuras sérias. Goste deles ou não, premiês de Israel tiveram nomes como Ben Gurion, Golda Meir, Yitzhac Rabin, Menachem Begin, Ariel Sharon, Ehud Barak e Benjamin Netanyahu. Se Lapid quiser ser um deles, trate de encarar os problemas fora (e dentro) das fronteiras com seriedade.

Leiam ainda o blog Radar Global. Acompanhem também a página do Inter do Estadão no Facebook

Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. Pessoas que insistirem em ataques pessoais não terão mais seus comentários publicados. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima. O blog está aberto a discussões educadas e com pontos de vista diferentes. Os comentários dos leitores não refletem a opinião do jornalista

O jornalista Gustavo Chacra, correspondente do jornal “O Estado de S. Paulo” e do portal estadão.com.br em Nova York e nas Nações Unidas desde 2009, é mestre em Relações Internacionais pela Universidade Columbia. Já fez reportagens do Líbano, Israel, Síria, Cisjordânia, Faixa de Gaza, Jordânia, Egito, Turquia, Omã, Emirados Árabes, Iêmen e Chipre quando era correspondente do jornal no Oriente Médio. Participou da cobertura da Guerra de Gaza, Crise em Honduras, Crise Econômica nos EUA e na Argentina, Guerra no Líbano, Terremoto no Haiti e crescimento da Al-Qaeda no Iêmen. No passado, trabalhou como correspondente da Folha em Buenos Aires. Este blog foi vencedor do Prêmio Estado de Jornalismo, empatado com o blogueiro Ariel Palacios