As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Nova equação do Hezbollah – ataque a Beirute terá resposta em Tel Aviv

gustavochacra

27 de julho de 2009 | 10h04

O Hezbollah alterou a equação de um futuro conflito com Israel. A partir de agora, se os israelenses atacarem Dahieh, o território controlado pelo grupo ao sul de Beirute, a resposta será diretamente contra Tel Aviv. Quem fez a afirmação foi o próprio líder da organização, xeque Hassan Nasrallah.

Em declarações publicadas em jornais libaneses, o carismático líder do Hezbollah ainda acrescentou que o grupo não pretende cometer ações fora da zona de segurança libanesa – o que inclui Israel. O objetivo dele, dento da estratégia de relações públicas da organização, é acalmar os ânimos dos que temem um mega atentado em outro país.

Serviços de inteligência de Israel acusam o Hezbollah de planejar ataques terroristas contra alvos judaicos para se vingar da morte do comandante militar do grupo, Imad Mugniyeh, em carro-bomba em Damasco no ano passado. Oficialmente, o a organização culpa os israelenses pela morte. Mas, em Beirute, muitos não descartam a participação de membros do regime sírio. Ninguém reivindicou a operação.

Para completar, em suas declarações, Nasrallah, admitiu que o Hezbollah temia que a sua coalizão vencesse as eleições libanesas porque, neste caso, Israel usaria isso como desculpa para atacar o Líbano. Na realidade, o grupo não era o principal partido da coalizão, majoritariamente controlada pelo líder cristão Michel Aoun. A aliança, denominada 8 de Março, venceu no total de votos. A derrota se deu devido à distribuição dos distritos, que favorecia aos sunitas e seus aliados da coalizão 14 de Março.

Comentários islamofóbicos, anti-semitas e anti-árabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores. Não é permitido postar vídeo. Todos os posts devem ter relação com algum dos temas acima

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.