As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O que Ahmadinejad fala do Holocausto

gustavochacra

05 de outubro de 2009 | 10h31

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, concedeu entrevistas para a revista Newsweek e para a agência de notícias Associated Press. Nos dois casos, o líder iraniano expressa a sua posição sobre o que pensa do Holocausto.

Newsweek – Em um momento em que o Irã busca restabelecer relações com o Ocidente, por que você mais uma vez nega que tenha havido o Holocausto?
Ahmadinejad – Você não acha que o Holocausto é um assunto importante?
Newsweek – Sim, foi o maior crime do século 20.
Ahmadinejad – Você acredita que o Holocausto ainda produz efeitos hoje? Você poderia me explicar como afeta os temas de hoje?
Newsweek – Não interessa o que eu penso. Interessa o que você pensa, senhor presidente.
Ahmadinejad – Eu entendo, mas gostaria de trocar nossas visões para podermos resolver um assunto aqui.
Newsweek – Está claro que houve um Holocausto. Por que você fala que não houve?
Ahmadinejad – O que digo é extremamente claro. Na Segunda Guerra, muitos crimes foram cometidos. Mais de 60 milhões de pessoas foram mortas e um número maior do que esse se tornou refugiado. A questão que eu tenho é, por que em meio de tudo isso que aconteceu na Segunda Guerra, o Holocausto é enfatizado mais do que qualquer outro [evento]? A segunda questão é, por que os políticos do Ocidente se focam tanto neste assunto? Se o evento aconteceu, onde ocorreu, quem foram os responsáveis e qual o papel dos palestinos? Que crime eles cometeram para merecer o que receberam como resultado? Qual o papel deles no Holocausto? Nós vemos o Holocausto como um pretexto para cometer genocídio contra o povo palestino.

Associated Press
– (Pergunta sobre o Holocausto)
Ahmadinejad – Em relação à questão do povo judeu e de seus sentimentos, tenho que dizer que nossa opinião nesta questão é diferente da questão do sionismo. O Sionismo é um partido político. Mas o povo judeu, como muitos outros povos, seguem um profeta divino. Eu fundamentalmente levanto duas questões em relação ao Holocausto e posso perguntá-las de novo para você. A primeira questão é que, assumindo que o Holocausto tenha ocorrido, quando aconteceu e quem foram os responsáveis? A segunda pergunta é como exatamente isso se relaciona com a questão palestina?
Associated Press – Ocorreu na Europa e foi realizado por Adolf Hitler e um grupo de compatriotas.
Ahmadinejad – Então, gostaria de saber como isso se relaciona com os palestinos e a questão palestina. Se isso aconteceu na Europa pelas mãos de governos europeus, por que exatamente o povo palestino precisa pagar por isso?
Associated Press – Você acredita que o Holocausto ocorreu?
Ahmadinejad – Na minha opinião, não é a primeira parte da questão que interessa, mas o resultado desta questão. A primeira metade se relaciona à história. A segunda parte, se relaciona a assuntos do mundo contemporâneo. Se em sua opinião alguma coisa ocorreu na Europa pelas mãos de governos europeus, podemos buscar o remédio em outros territórios? O povo palestino precisa pagar ao ficar refugiado e por que? Por meio da ocupação de suas terras e por que? Temos questões aqui também. Nós nos opomos ao assassinato de pessoas em qualquer lugar. Uma regra fundamental é que nos opomos aos assassinatos na Segunda Guerra, em qualquer lugar. Sabemos que mais de 60 milhões de pessoas morreram na Segunda Guerra. Cada uma delas eram seres humanos. Suas vidas são importantes, não interessando se são muçulmanos, judeus ou cristãos. Não faz diferença. Eu não estava lá 60 anos atrás, nós não estávamos lá, mas estamos aqui agora e podemos fazer algo. E vemos palestinos sendo mortos. Acho que hoje nossa função seja interromper isso. Caso o Holocausto seja usado como pretexto para o povo palestino, então, inevitavelmente, também é necessário discutir o Holocausto.

Comento

A interpretação fica para cada pessoa. Na minha avaliação, o presidente usa uma tática retórica de responder a peruguntas com questões. Em nenhum momento, ele nega ou confirma que tenha ocorrido o Holocausto. Mas certamente Ahmadinejad busca dar pouco peso a este evento histórico e o questiona em tom provocativo. Também dá a entender que Israel teria sido criado em decorrência do Holocausto, o que não é correto, já que o movimento sionista é anterior à Segunda Guerra e documentos, como a Declaração de Balfour, antecedem em um quarto de século o genocídio dos judeus.

Para completar, os palestinos nunca pediram que Ahmadinejad servisse de porta-voz de sua causa. Assim como Bin Laden, que tampouco tem algo a ver com os palestinos, ele apenas prejudica a causa palestina. Aliás, por que o iraniano não questiona a questãos dos curdos e dos baha’is em seu território?

Alguns leitores podem perguntar o por que de insistir na questão do Holocausto e do Irã. Justamente porque hoje os iranianos estão centro do conflito no Oriente Médio, envolvidos no Iraque, Líbano e territórios palestinos, além do próprio país. E seu presidente foi justamente quem trouxe o tema à tona. Notem que, na época de Khatami e de Rafsanjani, seus antecessores, ninguém tocava na questão do Holocausto ao entrevistar um presidente iraniano.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.